Desporto

Beto Bianchi continua à frente dos tricolores

António de Brito

A direcção do Petro de Luanda presidida por Tomás Faria mantém a aposta no treinador, Roberto Bianchi, ao abrigo do projecto de captação de talentos assinado em 2016, apesar de nos últimos três anos falhar a conquista do título do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola.

Presidente de direcção do Petro na conferência
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Na concorrida conferência de imprensa de ontem, Tomás Faria garantiu estar satisfeito com o trabalho do hispano-brasileiro, e realçou o facto de a formação petrolífera discutir o campeonato até às últimas jornadas.
“Não temos razões para prescindirmos dos préstimos do professor Beto Bianchi, embora  tenhamos perdido o campeonato. Vamos continuar com o treinador, porque tem feito um bom trabalho. Daí a razão de o mantermos no clube”, justificou aos jornalistas o dirigente desportivo.
Com o objectivo de resgatar o troféu do Girabola e garantir presença na fase de grupos da Taça CAF, o Petro de Luanda abre as suas oficinas no próximo dia 2 de Outubro, com a realização dos testes médicos e físicos. />Quanto às entradas e saídas de jogadores, Tomás Faria assegurou que o plantel vai ser reforçado, mas assegurou a permanência do avançado brasileiro Tiago Azulão, melhor jogador da prova com 20 golos.
“O jogador tem contrato até 2020, à semelhança de Tony. O Diney é uma incerteza. Tudo vai depender do treinador, porque durante o campeonato denotou algumas limitações físicas”, realçou.
A par da conquista do título, a direcção do Petro de Luanda definiu como meta para 2019 à entrada na fase de grupos da Taça CAF, por força do segundo lugar alcançado no Girabola. “São os objectivos traçados para a próxima época. Queremos resgatar a mística do clube”.

Tempo

Multimédia