Desporto

Campeões deixam pontos na visita ao Mundunduleno

Honorato Silva

Na tarde em que voltou a beneficiar de um penaltie, mais de dois anos depois, o 1º de Agosto consentiu ontem, no Estádio Mundunduleno, frente ao FC Bravos do Maquis, o quarto empate consecutivo no Girabola, desta a um golo, na abertura da 18ª jornada do Girabola.

 

Ainda privados dos préstimos de Bobô, que cumpriu o último jogo de suspensão pelo cartão vermelho diante do Progresso Sambizanga, os militares do Rio Seco viram-se em desvantagem de forma madrugadora. Chico, aposta de Zeca Amaral no ataque dos maquisardes, violou a baliza defendida por Tony Cabaça, logo aos cinco minutos.
O desperdício do oitavo ponto seguido, deixa o técnico Zoran Maki algo fragilizado no comando dos bi-campeões nacionais, cujos adeptos não esquecem o futebol adulto praticado pela equipa sob a batuta do bósnio Dragan Jovic, que deixou os rubros e negros por razões de saúde.
Apesar do controlo da posse de bola, registo recorrente nos seus jogos, os militares voltaram a revelar falta de presença na área adversária. As acções ofensivas foram quase sempre no meio campo e nas imediações da área, sem visar  a baliza com perigo.
O empate surgiu, curiosamente, na transformação de um penaltie aos 14 minutos, por Buá, castigo que há mais de dois anos não era assinalado a favor do 1º de Agosto. Mas a exibição de ontem foi insuficiente para criar, inclusive, situações de que jogadores, treinadores e dirigentes se pudessem queixar.

Atitude e ousadia

A abordagem definida por Zeca Amaral, confrontado recentemente com uma debandada de jogadores, condicionou o desempenho dos líderes do campeonato, que em nove pontos possíveis, no início do segundo turno da competição, somaram apenas três, quando nos últimos 12 fizeram quatro, safra que representa um elevado desperdício, não aproveitado pelo Petro de Luanda e Interclube, concorrentes directos na disputa do título, que têm feito os mesmos resultados.
Com o empate, o 1º de Agosto chegou aos 34 pontos e ficou à mercê da aproximação dos petrolíferos, que em caso de vitória amanhã, na deslocação ao terreno do 1º de Maio de Benguela, podem ficar apenas a dois. O FC Bravos do Maquis soma 17 pontos, no 12º lugar, e ganha fôlego na fuga da zona de despromoção.
Ainda ontem, a Académica do Lobito derrotou em casa o Recreativo do Libolo, por 1-0, com golo de Capita. O triunfo coloca os “estudantes” na quinta posição, com 24 pontos, ao passo que os libolenses, 22, permanecem no sexto posto.
O Cuando Cubango FC empatou, na cidade de Menongue, com o Desportivo da Huíla, sem golos, e deu mais um passo em direcção à estabilidade na prova, ao somar 19 pontos. Os militares da Região Sul, 24, estão tranquilos no sexto lugar.
Hoje jogam Sporting de Cabinda - Recreativo da Caála e Sagrada Esperança - Interclube. Para amanhã, no fecho da jornada, estão agendados os desafios Progresso Sambizanga - Domant FC e 1º de Maio de Benguela - Petro de Luanda.

Tempo

Multimédia