Desporto

Campeões do Mundo recebidos em euforia

António de Brito

A Selecção Nacional de futebol para amputados foi recebida com euforia à sua chegada, ontem, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, por algumas dezenas de pessoas, depois da conquista do título inédito no Campeonato do Mundo, disputado na cidade de Guadalaraja (México).

Jogadores e equipa técnica exibiram o troféu pelas distintas artérias da cidade capital
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Na parte exterior do aeroporto, os campeões mundiais, em número de 12, foram surpreendidos com a calorosa recepção preparada pelo Ministério da Juventude e Desportos e o Comité Paralímpico Angolano (CPA). À saída da sala do protocolo de Estado, atletas, treinadores e membros da delegação angolana emocionaram-se, porque não esperavam pela multidão perfilada no local, com realce para a presença da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto.
O cenário montado fez com que o “capitão” da Selecção Nacional, Hilário Kufula, derramasse algumas lágrimas, porque era a melhor forma de agradecer o carinho e o calor prestado pela população. Hilário Kufula liderava o grupo, empunhando o troféu mundial nos braços.
As pessoas exibiam cartazes com palavras “Muito obrigado campeões”, “Angola agradece o feito inédito”, ao som da música proveniente do carro alegórico, com o título do álbum “País Novo”, de Matias Damásio. “Vou contar-vos a história de um povo que tem tudo para sorrir” ... “Agora sem guerra ... Angolaaa do meu coração.”
“Esta canção emocionou-me. Não estava à espera deste ambiente. Muito obrigado por tudo. Este título também é vosso”, desabafou ao Jornal de Angola Hilário Kufula.
Depois das boas vindas, os integrantes da equipa nacional dirigiram-se para a “carripana” posta no local, para os transportar. Pintado com as cores da bandeira nacional, o camião de 6,3 metros de comprimento fez o percurso em 20 minutos, do aeroporto ao Complexo da Cidadela Desportiva, escoltado por batedores da Polícia Nacional.
Ao longo da via pública, com passagem pela Ho Chi Minh, José Pirão e Hoje-ya-Henda, os automobilistas, motociclistas e transeuntes pararam para felicitar os jogadores e treinadores.
À semelhança do aeroporto, as condições estavam igualmente criadas na Cidadela Desportiva, para a homenagem que se impunha aos jogadores e à equipa técnica. A Selecção Nacional também foi muito acarinhada. Ninguém quis perder a oportunidade de receber autógrafos e fazer “selfies” com os campeões mundiais.

Prémios extras
Para a recepção da delegação esteve a ministra da Acção Social Família e Promoção da Mulher, Vitória da Conceição, ladeada pelo secretário de Estado dos Desportos, Carlos Almeida, e pela vice-governadora de Luanda, Paula Correia Victor.
Antes do pequeno almoço oferecido no local à equipa angolana, foram várias as mensagens de felicitações, destacando-se as do Exército, do Ministério da Acção Social Família e Promoção da Mulher e do Fundo Lwini. Pedro Godinho, presidente da Federação Angolana de Andebol foi o mestre cerimónia da actividade de homenagem aos atletas e corpo técnico.
Pelo feito conseguido, a Fundação Sol ofereceu cinco milhões de kwanzas à Selecção Nacional. O Exército também se associou à conquista do Campeonato do Mundo, ao entregar sacolas a cada um dos atletas, contendo camisolas e chapéus.

Tempo

Multimédia