Desporto

China estuda proposta para ter duas corridas

A organização da Fórmula 1 está a negociar com os governos locais chineses para a criação de um segundo Grande Prémio no país asiático, afirmou à AFP Sean Bratches, director de operações comerciais da Fórmula 1.

Fotografia: DR

“Há reuniões organizadas com representantes dos governos locais, para identificar uma segunda cidade que poderia receber um Grande Prémio. Estaríamos muito interessados por uma corrida num circuito urbano. Se a intenção é promover a marca para fãs casuais e pessoas que ainda não são fãs, é preciso mostrar-lhes de perto como é este desporto de verdade”, admitiu Bretches.
“Isso seria uma grande decisão, com as extraordinárias instalações que temos aqui”, completou Bretches no circuito de Xangai, onde foi disputada no domingo a 1000ª corrida da história da Fórmula 1. Pequim é uma das cidades que estuda a possibilidade de receber a Fórmula 1, segundo uma fonte próxima do caso.
A China integra o calendário da Fórmula 1 desde 2004 com a corrida disputada no circuito de Xangai. A Liberty Media, proprietária da Fórmula desde 2017, não esconde o interesse pelo mercado asiático.
No próximo ano, Hanói receberá o primeiro Grande Prémio do Vietname em circuito urbano, “uma corrida realmente especial que oferecerá uma competição excitante”, prometeu o chefe da Fórmula, Chase Carey.
Sinal da importância da China para os dirigentes da Fórmula 1, o 1000.º Grande Prémio da categoria rainha do automobilismo foi guardado para Xangai, em vez de ser levado para Silverstone, Inglaterra, onde tudo começou em 1950.
A Fórmula 1 também está a negociar com a cidade de Miami, para a realização de um segundo Grande Prémio nos Estados Unidos da América, enquanto rumores citam a possibilidade do regresso, ao calendário de Fórmula 1, do circuito holandês de Zandvoort, renovado nos anos 1990, e que recebeu 30 Grandes Prémios entre 1952 e 1985.

Tempo

Multimédia