Desporto

"Cimeira ibérica" na jornada inaugural do Campeonato do Mundo da Rússia

Anaximandro Magalhães

Espanha, penúltima campeã do Mundo, troféu ganho em 2010, e Portugal, detentor do título europeu, disputam a 15 de Junho do próximo ano, às 18h00, numa partida com cariz de final, na abertura do Grupo B da fase preliminar da 21ª edição do Mundial de futebol, a decorrer até 15 de Julho, na Rússia.

Cerimónia realizada ontem na cidade de Moscovo ditou grupos equilibrados para a primeira fase da maior montra da modalidade à escala planetária
Fotografia: Mladen Antonov| AFP

O sorteio realizado ontem, no Palácio de Kremlin, na cidade de Moscovo, não foi fácil para Portugal, ao ter saído a Espanha, adversária mais cotada do Pote 2. Vizinhos na península ibérica, espanhóis e portugueses, eternos rivais no desporto, começam a competir na cidade de Sochi.
Candidatas assumidas à conquista da taça, as duas selecções europeias estão numa das séries mais complicadas dos oito grupos da maior competição organizada pela Federação Internacional de Futebol Associado, FIFA.
Em vantagem no ranking, Portugal, oitavo com 1259 pontos, está em primazia sobre a Espanha, 10º com 1204 pontos. No contexto prático, os espanhóis detêm vantagem, pois em 33 partidas venceram 16, empataram 12 e perderam cinco. Os comandados de Julen Lopetegui marcaram 72 golos e sofreram 37, números que lhe conferem teoricamente vantagem. Marrocos e Irão têm as honras de abertura do Grupo B, às 16h00, em São Petersburgo.
Rússia-Arábia Saudita, é a partida que marca às 16h00, a 14 de Junho, a primeira jornada do Grupo A, no Estádio de Luzhniki, na cidade de Moscovo, para o início do Mundial. Para estreia, está agendado apenas um jogo.

Visitante faraó
Os russos estão acomodados ao lado do Egipto e Uruguai, cujo desafio de estreia está marcado para 15 de Junho, às 13h00, em Ekaterinburgo. Uma das principais esperanças africanas na prova, a Nigéria, está no Grupo D, ao lado da Argentina, campeã do Mundo em 1978 e 90, Islândia e Croácia.
As Super Águias entram em acção dia 16, diante da Croácia, às 20h00, em Kalinegrado. Antes, a Argentina defronta a Islândia, às 14h00, no Estádio de Spartak, em Moscovo.
Tunísia, outro dos representantes do continente na competição, partilha o Grupo G com a Bélgica, Panamá, Tunísia e Inglaterra, vencedora em 1966 do título. 
Os tunisinos começam o percurso frente aos ingleses, dia 18 às 19h00, em Volgograd. Já os belgas jogam ante aos panamenhos, às 16h00, em Sochi.
Senegal, sétimo classificado em 2002, é historicamente a selecção mais cotada do Grupo H, onde perfilam a Polónia, Colômbia e Japão. Sem nenhum dos nomes que surpreenderam o mundo quando há 15 anos venceram por 1-0 os franceses, numa equipa onde pontificavam nomes como Zinedine Zidane, David Trézéguet, Sylvain Wiltord e Yuri Djorkaeff, a equipa senegalesa na altura liderada dentro do rectângulo de jogo por El Hadji Diouf, acompanhado por Tony Silva, Ferdinand Coly e Aliou Cissé, é outras das equipas em quem os africanos depositam enormes expectativas.
Dia 19, o Senegal testa competências com a Polónia, às 13h00, no Estádio do Spartak. Às 16h00, do mesmo dia, a Colômbia de James Rodrigues, jogador que alinhou pelos portugueses do FC Porto e os espanhóis do Real Madrid, desafia o Japão, em Saransk.
Detentora do título, a Alemanha, vencedora também em 1954, 74 e 90, parece ter sido bafejada pela sorte, ao calhar no Grupo F, com o México, Suécia e Coreia do Sul, selecções a priori menos cotadas.
Eterno candidato, o Brasil, penta campeão, 1958, 62, 70, 94 e 2002, está no Grupo E, com a Suíça, Costa Rica e Sérvia. Os brasileiros entram em cena a 17 de Junho, às 19h00, frente aos islandeses, na busca da materialização das suas pretensões, em Rostov. Antes, às 13h00, em Samara, jogam Costa Rica-Sérvia.
A 17 de Junho, às 16h00, a Alemanha abre a disputa com o México, no Estádio Luzhniki, em Moscovo. Dia 18, jogam Suécia-Coreia do Sul, às 13h00, em Nizhny Novograd.
O sorteio de Kremlin emparelhou no Grupo C, França, campeã do Mundo em 1998, Austrália, Peru e Dinamarca. Dia 16, às 11h00, a França defronta a Austrália, em Kazan, e às 17h00, tiram teimas Peru e Dinamarca, em Saransk.

  Treinador português reage ao sorteio dos grupos sem euforia

Fernando Santos não ficou propriamente eufórico com o grupo que calhou a Portugal no Mundial de 2018. O seleccionador nacional português considera mesmo que o sorteio é “muito enganador”.
“Portugal tem de assumir a sua parte de responsabilidade e de favoritismo quando se olha para um grupo destes, mas quando vemos com outra atenção percebemos que será muito difícil. Desde logo o primeiro jogo, Portugal-Espanha, importante e que pode marcar. Depois, pelas duas outras equipas que vamos defrontar. Terminaram invictas os seus grupos (nas respectivas fases de qualificação)”, frisou o técnico português em declarações ao site da federação.
Mesmo ostentando o título de campeão europeu, Fernando Santos atribui grande dose de favoritismo à Espanha, embora assuma que a sua selecção tem a responsabilidade de lutar pelo apuramento.
“A Espanha é naturalmente favorita, como tenho dito sempre. Não é a primeira vez que o digo, nem porque vou defrontar agora a Espanha. Sempre disse que é uma das equipas favoritas a (conquistar) este Campeonato do Mundo e a Portugal compete-lhe fazer o que tem feito, que é procurar em cada jogo vencer”, referiu.
Recorde-se que Portugal ficou inserido no Grupo B, juntamente com a Espanha, o Irão e Marrocos.
Julen Lopetegui, o seleccionador espanhol, não espera facilidades.
“Trata-se de um grupo difícil, muito duro. Portugal é campeão da Europa, o Irão não sofreu golos na fase de apuramento e Marrocos deixou a Costa do Marfim de fora. Todos os adversários vão exigir o melhor de nós”, considerou o treinador, depois do sorteio.

Tempo

Multimédia