Desporto

City e Roma obrigados a golear os adversários

Anaximandro Magalhães

Hoje, chova ou não, são conhecidas as duas primeiras equipas semifinalistas da Liga dos Clubes Campeões europeus de futebol, com as atenções dos aficionados voltadas a partir das 19h45, para as partidas da segunda-mão dos quartos-de-final, entre Manchester City - Liverpool, no Etihad Stadium, e Roma - Barcelona, no Estádio Olímpico, com obrigação dos anfitriões golearem os visitantes.

Egípcio Mohamed Salah (11) foi o primeiro a marcar na vitória dos comandados de Klopp
Fotografia: Dr

Hoje, chova ou não, são conhecidas as duas primeiras equipas semifinalistas da Liga dos Clubes Campeões europeus de futebol, com as atenções dos aficionados voltadas a partir das 19h45, para as partidas da segunda-mão dos quartos-de-final, entre Manchester City - Liverpool, no Etihad Stadium, e Roma - Barcelona, no Estádio Olímpico, com obrigação dos anfitriões golearem os visitantes.
O quadro de equipas para as meias-finais fica completo amanhã, quando se defrontarem à mesma hora, Real Madrid - Juventus, no Estádio Santiago Bernabeu, e Bayern de Munique - Sevilha, no Estádio Allianz Arena.
Manchester City e Roma têm de golear, sem apelo nem agravo, os adversários com quem perderam por 3-0 e 4-1, nos desafios da primeira mão. A missão prevê-se impossível? Não. Mas a tarefa é colossal, e obriga um redobrar de esforços, com a capacidade de sofrimento e espírito de entre -ajuda a imperarem.
Em vantagem na eliminatória, o Liverpool, orientado pelo alemão Jurgen Klopp, é obrigado a manter o nível exibicional evidenciado na partida disputada em  Anfield,  onde fez 45 minutos soberbos, tendo subalternizado os Citizens.
Mohamed Salah e Sadio Mané, ambos africanos, são, tal como o brasileiro, Roberto Firmino, e o inglês Alex Oxlade Chamberlain, os ases de trunfo de Klopp, para contrariar o favoritismo caseiro do Manchester City, às ordens técnicas do espanhol Pep Guardiola.
Refeitos do desaire sofrido na primeira mão da Champions League, mas ainda ressabiados certamente do percalço doméstico, sábado, diante do Manchester United, por 3-2, resultado que adiou a consagração antecipada da conquista do tí-tulo de campeão da Premier League, designação do campeonato inglês, Guardiola sabe que é preciso apelar ao virtuosismo das suas estrelas.   
Kevin de Bruyne, Gabriel Jesus, Leroy Sané, Bernardo Silva, David Silva, Sergio Aguero, Fernandinho, Raheem Sterling, Vincent Kompany, só para citar parte dos astros do City, são certamente as esperanças de Pep para o derradeiro encontro. Ganhar no mínimo 4-0, e não sofrer nenhum golo é o desafio. Pois, na eventualidade de Ederson Morais, guarda-redes do Manchester City ir ao fundo das malhas buscar a bola isso é um mau prenúncio.
A goleada por 5-0, imposta pelo City na primeira volta da Premier League, e os 4-3, ripostados na segunda, pelo Liverpool, ficaram para a História.
Nos números, realce para o facto de em 126 vezes que se verificou um resultado destes na primeira-mão, em 119 a equipa da casa na se-gunda mão apurou-se, média de (94.4 por cento). Apenas em sete, (5.6 por cento), a formação visitante saiu vitoriosa e logrou a qualificação à fase seguinte. 

Roma obrigado a golear

Com vantagem mais confortável, o Barcelona, liderado pelo espanhol Ernesto Valverde, não tem tarefa menos facilitada por ter de defrontar o Roma, comandado pelo italiano Eusebio Di Francesco.
Edin Dzeko, Aleksandar Kolarov, Diego Perotti, Kostas Manolas, e colegas têm de fazer um esforço invulgar para desfeitear os espanhóis que procuram marcar presença em mais uma meia-final e consequentemente chegar a mais uma final.
Lionel Messi, Luiz Suárez, Ivan Rakitic, Andrés Iniesta, Gerard Piqué, Ousmane Dembélé, Nelson Semedo, e demais integrantes da equipa blaugrana só precisam de não perder por números aterrorizadores. Das vezes em que se registou na primeira mão um resultado de 4-1, a equipa da casa na segunda-mão apurou-se oito vezes (16.7 por cento). Por sua vez, o conjunto visitante apurou-se em 40 (83.3 por cento).
Espanha, representada por Real Madrid, Barcelona e Sevilha, Inglaterra com dois clubes, Liverpool e Manchester City, e Itália, Juventus e Roma, Alemanha, um, Bayern de Munique, são os países e clubes ainda presentes na competição.
O vencedor da Champions, a liga milionária, em-bolsa pela conquista do ceptro, 15,5 milhões de euros, para além do troféu. O actual Troféu da UEFA Champions League mede 73,5 centímetros de altura e pesa 7,5 quilos. Os desafios das meias-finais, a serem sorteados sexta-feira, são disputados nos dias 24 e 25 do corrente, a primeira-mão, e a segunda a 1 e 2 de Maio. A final é jogada a 26 de Maio, no Estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia. 


Tempo

Multimédia