Desporto

Clássico reedita encontro entre Petro e Ferroviário

Petro de Luanda e Ferroviário disputam, hoje às 18h00, no Pavilhão Principal da Cidadela, uma partida que promete ser uma verdadeira incursão na história do maior clássico do andebol feminino de Angola.

Gimnodesportivo testemunha o reencontro de antigos atletas que brilharam no passado
Fotografia: José Soares| Edições Novembro

Quase vinte e sete anos depois da última final entre ambas equipas, em 1991, na cidade do Lubango, os mesmos protagonistas entram para a quadra de jogo, num reencontro que promete arrastar muito público.
Primeiro campeão africano de clubes, em 1986, na cidade nigeriana de Owerri, o Ferroviário  venceu o seu último Campeonato Nacional em 1990 e perdeu no ano seguinte, com o Petro, encerrando uma época de muita rivalidade que permitiu o crescimento da modalidade, até ao primeiro título das nações em 1989, na Argélia.  
Em masculinos, o 1º de Agosto defronta, às 17h00, uma selecção de antigos jogadores doutros clubes, trazendo, igualmente,  à quadra de jogos da Cidadela, memórias de ouro e fortes emoções. Os militares foram os principais impulsionadores da evolução do andebol.
A iniciativa da Federação Angolana de Andebol (Faand) visa reunir a família da modalidade, assegurar a interacção entre as várias gerações de praticantes e enaltecer o “fair play”. Longe da tensão competitiva de quase três décadas atrás, o jogo entre Ferroviário e Petro de Luanda, nem por isso deixa de trazer emoções e incerteza no resultado.
Depois de três semanas de treino em conjunto, na quadra  do Catetão, ambas formações fizeram o apronto final, ontem a noite no Clube dos Caçadores (ex-Gama). Com menos agilidade e mais peso, de ambos os lados, o equilíbrio deverá ser a nota dominante do encontro, onde, independentemente do resultado, o andebol sair vencedor.
Na partida de masculinos, o 1º de Agosto deve voltar a impor a sua hegemonia dos tempos idos, com um plantel de luxo, orientado por Óscar Nascimento. Para representar o Petro de Luanda, Alberto Ferreira Júnior “Beto Fer-
reira” convocou Hermínia Coelho “Minó”, Elisa Peres, Rosa Torres “Rosita”, Elisa Webba Torres “Lili”, Anabela Ordenã, Felisbela Ferreira “Belinha”, Ana Paula Sacramento, Chinha Garrido, Esperança Furtado “Panchita”, Fábia Raposo, Graça Monteiro, Carla Costa, Ana Paula Silva “Palú”, Lí-dia João, Ernestina Medina “Maninha” e Palmira Barbosa “Mirita”.
O Ferroviário vai alinhar  com Alexandra Neto “Xan-da”, Ana Martins “Bininha”, Ana Beatriz “Bibia”, Cesaltina Ceita “Butina”, Ermelinda Soito, Eva Almeida “Carocha”, Fausta Afonso, Isabel Valentim “Belinha”, Loia Fortunato,  Luísa Fortunato “Xanquete”, Suzana Gil “Suzy”, Aida de Fátima Pinto “Fató” e Luzia Bezerra “Prazeres”.
Convidados para representar o 1º de Agosto estão os seguintes jogadores: Carlos Hendrick, Cardoso de Lima, Mário Lionel, Jorge Batalha, Joaquim Cunha, José de Sousa , Victor Lemos, Divaldo Ângelo, António Costa, Pedro Aguinaldo, Pedro Godinho, Hespanhol Neto, Hermenegildo Jasse, Zélio Cunha e Edgar Almeida.
João Vilela e Victor Araújo orientam a selecção doutros clubes, para a qual convocaram Beto Ferreira, Fernando Franco “Maló”, Catito, Abílio Cruz, Pina Almeida, Fernando Rodrigues, José Macuéria, Óscar Rodrigues, Cuco Velasco, William Al-meida, Adelino Manuel, Vicente Francisco, André Costa, António Moki, Rafael  Sambo e Victor Dongo.
Petro de Luanda e Ferroviário disputam, às 18h00, na Cidadela, uma partida que promete ser uma verdadeira incursão na história do maior clássico do andebol feminino.
Quase vinte e sete anos depois da última final entre ambos clubes, em 1991, na cidade do Lubango, os mesmos protagonistas  voltam a jogar.
Primeiro campeão africano de clubes por Angola, em 1986, em Owerri, Nigéria, o Ferroviário venceu o seu último Campeonato Nacional em 1990 e perdeu no ano seguinte, com o Petro, encerrando uma época de muita rivalidade,que permitiu o crescimento da modalidade, até ao primeiro título das nações em 1989, na Argélia.   Em masculinos, o 1º de Agosto defronta, às 17h00, uma selecção de antigos atletas doutros clubes, trazendo igualmente memórias de ouro e fortes emoções.

Tempo

Multimédia