Desporto

Clubes da Segundona devem dar garantias

A Federação Angolana de Futebol (FAF) exige que os clubes, que disputam a prova de apuramento para a primeira divisão, devem apresentar um “termo de responsabilidade” assinado por três dirigentes, onde esteja garantido que a agremiação vai terminar a prova sem dívidas com a arbitragem e faltas de comparência, advertindo que as penalizações serão exemplares.

Federação presidida por Artur Silva exige mais responsabilidade
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

De acordo com o comunicado número 20 da FAF, as vistorias aos campos indicados pelos clubes devem ser feitas até ao dia 3 de Junho. Nos casos em que os clubes não sejam os proprietários devem apresentar a autorização do dono para o efeito. Para o efeito têm de pagar uma taxa de vistoria de trezentos mil kwanzas, sendo duzentos e quarenta mil a favor da FAF e sessenta para a Associação Provincial.
Estão inscritas para o Zonal de Apuramento  o Real Mbuco de Cabinda, São Salvador do Zaire, Mpatu a Ponta do Bengo, Santa Rita de Cássia, representante do Uíge, ASA e União do Cuanza-Norte (Série A), Sportimg do Bié, AKC do Cunene, Bikuku FC, Jakson Garcia de Benguela, Ferrovia do Huambo e Sporting de Benguela (série B).

Tempo

Multimédia