Desporto

Comissão de Gestão trabalha sem carimbo

Juscelino da Silva

O líder da Comissão de Gestão da Federação Angolana de Judo, Casimiro Bento, queixa-se da falta de carimbo da instituição para conferir idoneidade e legalidade aos documentos para dirigir a diferentes instituições e acusa o presidente destituído, Paulo Nzinga, de o subtrair para proveito próprio.

Órgão reitor vive momentos conturbados devido a desavenças entre agentes da disciplina
Fotografia: Nuno Flash| Edições Novembro

“Paulo Nzinga 'Apoló' levou o carimbo, continua a produzir documentos e assiná-los como presidente da Federação. A falta de carimbo impossibilita-nos de movimentar a documentação e ter acesso às contas da nossa instituição em diferentes bancos”, disse.

O trabalho da Comissão decorre com “normalidade” e a missão está cumprida em 80 por cento. Até ao momento, está quase completo o diagnóstico de funcionamento da instituição e os resultados vão ser apresentados na Assembleia Geral Extraordinária agendada para o próximo dia oito de corrente.

O Jornal de Angola apurou que a Comissão de Gestão encontrou várias dívidas contraídas pela direcção destituída no levantamento dos activos da Federação. “A au-ditoria financeira prevista fica assim adiada”, segundo Casimiro Bento.

Para o êxito do conclave federativo, “as eleições de renovação de corpos sociais nas Associações provinciais decorrem bem”, com a excepção do Cuanza-Norte, onde um “grupo de insurrectos” sabotou o acto na passada quinta-feira, segundo Casimiro Bento.

O líder da Comissão asseverou que fontes no local in-formaram tratar-se de “autores supostamente mandados por Paulo Nzinga, numa clara demonstração de que a confusão continua no judo”.

<\/scr"+"ipt>"); //]]>--> justify;">Casimiro pode ser candidato

O antigo atleta poderá apresentar a candidatura às eleições na Federação se for a vontade do eleitorado. Casimiro Bento assegura que pretende dar um novo rumo ao judo, unir a família e apagar a má imagem pintada nos últimos tempos.

“Tenho recebido vários apoios e incentivos de um grupo que trabalha comigo e penso candidatar-me para emprestar as minhas qualidades à modalidade. É uma possibilidade. Contudo, só vamos decidir, depois de se definir a população votante e os candidatos”, disse.

Quanto à linha de força do provável programa eleitoral, assegurou que o apresentaria tão logo ficasse decidida a candidatura, que pode contar com apoios confirmados do Exército, ZAP, Banco Económico e SB Suplementos.

A Refriango e a Unitel po-dem juntar-se à lista, segundo Casimiro Bento.


Bengo sem Associação
A província do Bengo nunca teve uma Associação de Judo funcional e eleita pelos associados. O intitulado presidente de direcção, Anderson Dombele, é “um indivíduo” que forjou documentos com a ajuda de Paulo Nzinga, se-gundo Casimiro Bento.

“Investigámos e concluímos que Anderson Dombele não é presidente da Associação do Bengo”, disse Casimiro Bento com a garantia de que é um dos assuntos a remeter à Assembleia Geral extraordinária.

Tempo

Multimédia