Desporto

Convocatória penaliza jogadores contestatários

Honorato Silva

Em contagem decrescente para o início da preparação da preliminar de acesso ao Mundial de 2022, no Qatar, diante da similar da Gâmbia, a Selecção Nacional de Honras de futebol regista mudanças profundas, desde a saída da equipa técnica e o provável afastamento de jogadores considerados contestatários pelo elenco federativo encabeçado por Artur Almeida e Silva.

Alguns destes jogadores foram proscritos pela direcção da Federação Angolana de Futebol
Fotografia: José Cola | Edições Novembro

O Jornal de Angola apurou segunda-feira, de fonte próxima à Federação, que o português Pedro Gonçalves, elevado aos seniores, em substituição do sérvio Srdjan Vasiljevic, deve deixar de fora da convocatória, a ser tornada pública hoje, o sub-capitão Djalma Campos e o lateral direito Bruno Gaspar.

Aos referidos atletas é assacada a responsabilidade do movimento reivindicativo iniciado ainda no estágio em Portugal, pelo atraso registado na liquidação das diárias e do prémio dado pela Confederação Africana aos países apurados para a Taça das Nações (CAN), cuja 32ª edição foi realizada entre Junho e Julho, no Egipto, com a consagração da Argélia.
Contactado pelo nosso jornal, de modo a reagir à informação, o vice-presidente das Selecções Nacionais, Adão Costa, limitou-se a agradecer, por mensagem, o facto de ter sido contactado. Mas, antes disse que desconhecia, no seu registo habitual, quando abordado sobre assuntos inerentes à área que dirige.
O caso mais recente deu-se há uma semana, quando questionado sobre a possibilidade de a FAF rescindir o vínculo contratual com Vasiljevic e apostar em Pedro Gonçalves, treinador dos Sub-17, que prepara a disputa do Mundial do Brasil, em Outubro.
“O distanciamento em questão é uma afirmação vossa ou um facto anunciado pela FAF? Pede o meu pronunciamento com base numa especulação? Penso que o correcto seria falar com base em dados oficiais. Certo? Asseguro também que nunca falámos com o treinador por via de advogados. Logo isso é falso. Aliás, pode sempre saber junto do próprio treinador ou de alguém próximo dele”, respondeu Adão Costa, a tentar negar evidências.
Os jogadores, que a princípio ficam de fora da próxima convocatória, foram utilizados nos três jogos disputados pela Selecção Nacional na Taça das Nações. Bruno Gaspar fez 270 minutos e Djalma Campos 258.

Peso da eliminatória
A preliminar com a Gâmbia está revestida de importância acrescida, uma vez o êxito permitir à FAF planificar com a equipa técnica um plano de renovação gradual da Selecção Nacional, que além dos seis jogos confirmados no Grupo D (Congo Democrático, Gabão e o vencedor do Djibuti-Gâmbia) de apuramento para o CAN 2021, nos Camarões, terá outros seis no acesso ao Mundial.
O lançamento de talentos será natural, como deve acontecer agora com Zito Luvumbo do 1º de Agosto, avançado que Srdjan Vasiljevic quis levar ao Egipto, no entanto ficou pelo desejo, por falta de documentação actualizada, “segundo informaram os dirigentes, por isso chamámos o Evandro Brandão no lugar de Chico”.
Colocados no posto 161 do "ranking" da FIFA, com 1006 pontos, os Escorpiões da Gâmbia são uma séria ameaça para os Palancas Negras, colocados na posição 122, 1144 pontos, na eliminatória que começa a ser disputada no dia 6 de Setembro, em Banjul, e concluída a 10, em Luanda.
Na campanha de acesso ao CAN do Egipto, os gambianos ficaram na terceira posição do Grupo D, 6 pontos, atrás da Argélia (11) e Benim (10). Um dos destaques da sua prestação foi o facto de terem travado as Raposas do Deserto, campeãs africanas, com empates (1-1) dentro e fora de casa.
Orientados pelo belga Tom Saintfiet, os Escorpiões têm como principais referências o guarda-redes Modou Jobe (28 anos), os defesas Pa Madou Jagne (27), Simon Richter (32), Futty Danso (33) e Bubacarr Sanneh (22), os médios Sulayman Marreh (22), Adoulie Jallow (19), Ebrima Sohna (28), Ebou Adams (21) e Musa Barrow (18) e os avançados Assan Ceesay (23) e Lamin Jallow (21), maioritariamente convocados de clubes dos Estados Unidos, Bélgica, Suíca, Inglaterra e Itália.

Tempo

Multimédia