Desporto

Cor da pele travou entrada de Jack Leslie

Uma angariação de fundos foi criada em Inglaterra com o intuito de erguer uma estátua em homenagem a Jack Leslie, um jogador que poderia ter-se tornado, em 1925, no primeiro negro a jogar pela selecção da Inglaterra, antes de os técnicos descobrirem a cor da sua pele.

Fotografia: DR

“O seu treinador enviou uma mensagem (à selecção nacional) com a seguinte declaração: 'Tenho um grande jogador aqui, ele deveria jogar pela Inglaterra”, relatou à BBC a neta de Jack Leslie, Lesley Hiscott.

Leslie, que era um criativo e jogava no meio campo ofensivo, defendia as cores do Plymouth Argyle na altura e era o único jogador negro profissional da época.

De mãe inglesa e pai jamaicano, Leslie foi convocado para defender a Inglaterra contra a Irlanda, mas acabou por sair da lista. “Alguém (da federação) veio vê-lo jogar, mas não olharam para o seu futebol. Só olharam para a cor da pele. Por causa disso, negaram-lhe a hipótese de jogar pelo seu país”, completou a neta.

Foi preciso esperar até 1978 para que Viv Anderson se tornasse no primeiro jogador negro a jogar na selecção inglesa de futebol.

“Não queremos apenas erguer uma estátua em homenagem a Jack Leslie, mas também usar a sua história para celebrar a diversidade e combater o racismo”, explica o site da 'Jack Leslie Campaign', que espera arrecadar 100.000 libras (110.5 mil euros).

A história de Jack Leslie ganha significado particular num momento em que a legitimidade de algumas personalidades com estátuas em espaços públicos ganhou notoriedade com o movimento antirracista 'Black Lives Matter', protagonista em cada partida da Premier League desde o regresso do campeonato.

“Nunca tinha ouvido falar de Jack Leslie até há duas semanas”, admitiu o próprio Viv Anderson, entrevistado pela BBC. “E isso é uma vergonha, porque o que ele viveu e fez, deveria estar presente no espírito de todas as pessoas de cor”, completou o ex-jogador de Nottingham Forest, Arsenal e Manchester United.

Leslie, que faleceu em 1988, está representado num quadro no Home Park do Plymouth Argyle e a sala do conselho de administração do clube tem o seu nome.

Tempo

Multimédia