Desporto

Covid-19 adia assembleia extraordinária do Interclube

António de Brito

Apesar do instrutivo da Direcção Nacional dos Desportos (DND), recomendar a realização de eleições, aos clubes, associações provinciais e federações, antes dos Jogos Olímpicos, o Interclube viu-se obrigado a adiar sine die, devido à pandemia do Covid-19, a Assembleia Geral extraordinária prevista para amanhã.

Presidente dos “polícias”, Alves Simões, deve concorrer à sua própria sucessão
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

Em declarações ao Jornal de Angola, Miguel António “Camulogi”, vice-presidente para o basquetebol da formação da Polícia Nacional, disse que o adiamento deveu-se ao surto do novo coronavírus. “Diante desta calamidade, optámos por suspender a realização da Assembleia, enquanto durar a situação. Aproveito a oportunidade para apelar aos atletas, sócios, simpatizantes e amigos do clube, que cumpram as medidas de prevenção, com intuito de evitar possíveis contágios”, aconselha o dirigente desportivo.
Por sua vez, o Petro de Luanda, mantém, conforme informação no site oficial do clube, o sábado, como data prevista para a Assembleia geral extraordinária, cujo objectivo é criar a comissão eleitoral, marcar as eleições, bem como fazer o balanço e apresentação do relatório e contas das actividades desportivas realizadas em 2019/2020.
Em comunicado, o Petro de Luanda informa que só terão acesso à reunião, os sócios que tenham pago integralmente as quotas até ao dia 8 do corrente. Tomás Faria, actual presidente de direcção, deve concorrer à sua própria sucessão.

Pleitos realizados

No 1º de Agosto, Carlos Hendrick da Silva, foi reeleito a 28 de Fevereiro, para mais um mandato de quatro anos. Hendrick voltou a merecer a confiança dos sócios do clube, por força do que consideram ser um excelente trabalho efectuado à frente da instituição, com destaque para a criação da Cidade Desportiva, sem colocar de parte os quatro títulos do Girabola conquistados consecutivamente. />Carlos Hendrick sucedeu no cargo, em 2011, o irmão mais velho, Raúl Hendrick.
Os sócios do Kabuscorp do Palanca reelegeram Bento dos Santos Kangamba, para continuar a dirigir os destinos da colectividade nos próximos quatro anos.
Despromovidos do Girabola'2018, devido aos incumprimentos contratuais com jogadores e treinadores, Bento Kangamba prometeu devolver à equipa à primeira divisão, em 2021. A ex-árbitra internacional Maximina Bernardo é a novidade na direcção da formação do Palanca, onde vai exercer o cargo de secretária-geral.
No último sábado, o Recreativo do Libolo efectuou a renovação de mandatos, com Luís Mariano Carneiro, a substituir na presidência Lionel Casimiro. Depois da saída de Rui Campos, a formação do Cuanza-Sul regista o terceiro presidente da agremiação. Já o Sagrada Esperança efectuou o escrutínio a 17 de Janeiro, com José Muacabalo a render Osvaldo Van-Dúnem.
De acordo com a orientação da DND, as associações provinciais devem realizar os pleitos eleitorais, entre Abril e Maio. A seguir, estão obrigadas a proceder de igual modo as distintas federações, mas dentro dos prazos que antecedem aos Jogos.
Contactado pelo Jornal de Angola, Nicolau Daniel, director nacional dos Desportos, esclareceu que: “as eleições têm de ser primeiro em todos os clubes, a seguir nas associações provinciais e por último as federações. Alguns clubes já realizaram as eleições e outros estão por efectuá-las. Apelamos ao cumprimento escrupuloso para a renovação de mandatos”.

Tempo

Multimédia