Desporto

Criação da Liga Profissional promove clubes e jogadores

O secretário-geral da Associação das Federações Africanas de Basquetebol Amador (FIBA África), o costa marfinense Alphonse Bilé, em declarações ao site da FIBA Mundo disse que a criação da Liga Profissional Africana (BAL) constitui um dia histórico para o continente, cuja implementação relançará a competição e a promoção dos clubes e jogadores africanos.

A Liga Profissional Africana de Basquetebol é um importante passo para o de-senvolvimento contínuo da modalidade, que com o comprometimento de todos os actores, bem como a combinação de programas sociais, criarão novas oportunidades para as gerações vindouras, do ponto de vista desportivo, económico e tecnológico.
“Este é um dia histórico para o continente africano. Estamos empolgados para trabalhar de perto com a NBA, para desenvolver e colocar em lugar de destaque a liga profissional como nenhuma que já vimos na nossa região. Por meio da Liga Africana de Basquetebol podemos oferecer aos clubes e jogadores o melhor ambiente possível, para competir ao mais alto nível. Estamos entusiasmados para trabalhar com a NBA, com o objectivo de desenvolver e elevar a nossa liga profissional a um nível que nunca vimos na nossa região”, disse o SG da FIBA África.
Já o secretário-geral da FIBA Mundo, Andreas Zagklis, considerou que a entrada em território “inexplorado” é uma mais-valia para a modalidade e a parceria com a NBA vai maximizar o potencial do basquetebol profissional em África. “Essa é uma extensão natural do que nós temos estado a fazer através da iniciativa conjunta que é o Basquetebol Sem Fronteiras (BWB), que ajuda a encontrar, desenvolver e cultivar jovens jogadores talentosos em todo o mundo, incluindo em África”, ajuntou.
Enquanto isso, o vice-presidente da NBA e director administrativo para a África, Amadou Gallo Fall, asseverou que “ é outro marco empolgante para a NBA em África. Ter uma liga profissional fornecerá uma plataforma para os jogadores da elite mostrarem o seu talento e inspirarem os mais jovens à prática da modalidade”.

Acordo FIBA/NBA
O acordo para a instituição da Afroliga "Basketball Africa League (BAL), designação em inglês -, foi rubricado sábado último, na cidade de Charlotte, Carolina do Norte (EUA), entre a Associação Nacional de Basquetebol (NBA) e a Federação Internacional de Basquetebol (FIBA). Tem a duração prevista para dez anos e contrapartida de um milhão de dólares por ano nos primeiros quatro de vivência, evoluindo gradualmente para dois e três milhões.
A Afroliga, primeira operação desportiva da NBA fora da América do Norte, “sai do papel” em Janeiro de 2020, e a lista de competidores será elaborada com base nas actuais provas da FIBA África, e as equipas apuradas para a fase final ficam isentas de todas as despesas de transportação e acomodação.
Para o apuramento para a BAL, a NBA e a FIBA organizarão no decorrer deste ano torneios, visando identificar as 12 equipas que representarão os vários países, dos quais se destacam Angola, Egipto, Quénia, Marrocos, Nigéria, Ruanda, Senegal, África do Sul e Tunísia.
A parceira traz um pacote de jogos da NBA, direcciona-do para o público e fãs do continente africano, já a partir da época 2019/2020, que in-cluirá uma oferta de novos pacotes, conteúdos localizados, recursos financeiros, com enfoque para o desenvolvimento contínuo do ecossistema de basquetebol africano.

NBA: empresa global baseada em quatro ligas

A NBA é uma empresa global construída em torno de quatro ligas desportivas profissionais: a National Basketball Association, a Women's National Basketball Association, a NBA G League e a NBA 2K League.
A NBA estabeleceu uma grande presença internacional com jogos e programação em 215 países e territórios e 50 idiomas, e mercadorias para venda em mais de 125.000 lojas em 100 países de seis continentes.
A lista de inscritos, no início da temporada 2018/2019, atingiu a cifra dos 108 jogadores internacionais de 42 países. Os activos da NBA Digital incluem a NBA TV, NBA.com, NBA App e o NBA League Pass. A NBA criou uma das maiores comunidades de media social do mundo, com 1,5 bilhão de acessos e seguidores em todas as plataformas de liga, equipas e jogadores. Por meio da NBA Cares, a liga aborda questões sociais importantes e trabalha com organizações internacionalmente reconhecidas, que prestam serviços a jovens que apoiam a educação, o desenvolvimento juvenil e familiar e as causas relacionadas à saúde.

Tempo

Multimédia