Desporto

Cuando Cubango põe fim ao jejum de vitórias

António de Brito

Com o Petro de Luanda e o 1º de Agosto na luta renhida pelo título, as atenções voltam-se agora para as equipas que tentam fugir dos últimos lugares da classificação e consequente despromoção à II Divisão, com realce para a vitória ontem, do Cuando Cubango, frente à Académica do Lobito, por 2-1, no Cuito, Bié, em jogo referente à 25ª jornada do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola'2019/20.

Vitória de 2-1, permitiu a equipa subir um degrau na tabela classificativa do campeonato
Fotografia: Miquéias Machangongo | Edições Novemb

O Cuando Cubango regressou às vitórias no campeonato, após quebrar enguiço de dez encontros, o que relança a equipa na disputa pela manutenção, apesar de manter a 13ª posição, com 21 pontos.  Depois do empate (1-1), na deslocação a Calulo, e da vitória sobre os “estudantes” lobitangas, a equipa treinada por Albano César encara os restantes desafios como autênticas finais, com o intuito de garantir a permanência no escalão principal. 

Apesar de realizar uma segunda volta intermitente, a Académica do Lobito tem praticamente assegurada a continuidade na prova, pois ocupa o sexto lugar, com 33 pontos. O Santa Rita de Cássia fez jus à condição de favorito, ao receber e vencer o Wiliete de Benguela, por 2-0, no Estádio 4 de Janeiro, mas mantém o 15º e último lugar da classificação, com 16 pontos.

Os católicos do Uíge deram um safanão na crise de resultados, depois de seis jornadas sem triunfos. Após o afastamento de Marcos Chivinda, o treinador Almério Bony não poupa esforços para manter o Santa Rita na primeira divisão.
A ocupar o nono lugar, com 18 pontos, o Wiliete viu assim goradas as possibilidades de pontuar no terreno do adversário, mas não desiste do principal objectivo, que visa a permanência na “fina-flor” do futebol nacional.

No Estádio dos Kuricutelas, Ferrovia do Huambo e Progresso Sambizanga empataram (0-0), com os “locomotivas” a desperdiçarem os três pontos na condição de visitados, o que agrava ainda mais os propósitos na competição. O Ferrovia ocupa o 14º lugar com 20, ao passo que o Progresso é 12º, com 21.

Jornada registou adiamento de dois jogos

Os jogos entre Sagrada Esperança-Desportivo da Huíla e Recreativo da Caála-Sporting de Cabinda, agendados para ontem, às 15h00, não se disputaram por dificuldades de transportação aérea das equipas visitantes. Os militares da Região Sul não conseguiram deslocar-se à província da Lunda-Norte, assim como os leões do Norte tiveram igual dificuldade para irem ao Huambo. As partidas, mediante Decreto Ministerial, fica sem data marcada.
Sábado, ao aproveitar a folga do 1º de Agosto, o Petro de Luanda desfez a partilha da liderança da prova, ao vencer o FC Bravos do Maquis, por 3-0, no Estádio Mundunduleno, somando 54 pontos, contra 51 do detentor do título.
Depois da derrota diante do Desportivo da Huíla (0-1) e empate (2-2) frente ao Interclube, a formação petrolífera quebrou a crise de maus resultados na prova e mantém acesa a chama de conquista do título, que escapa há 10 anos.
Com o triunfo sobre o Maquis, o Petro de Luanda entra para o clássico com três pontos de vantagem sobre o arqui-rival, cuja disputa da 26ª jornada foi adiada sine die, por força da paralisação de todas as actividades desportivas no país, devido à pandemia do Covid-19. O Petro de Luanda tem um jogo em casa e dois fora de portas, enquanto o 1º de Agosto dois na condição de anfitrião e igual número como “forasteiro”.
A seguir ao desafio de colossos, os tricolores do Eixo Viário descansam na jornada por imperativo de calendário, depois medem forças com o Recreativo do Libolo (Calulo), Académica do Lobito (Luanda) e Sporting de Cabinda (Cabinda).
Por sua vez, os militares do Rio Seco defrontam o Recreativo do Libolo (Luanda), Académica do Lobito (Fora de Portas), Sporting de Cabinda (Luanda) e Wiliete Sport Clube (Benguela). Com o objectivo de melhorar o quinto lugar da edição passada, o Interclube recebeu e venceu o Recreativo do Libolo, por 2-0, no Estádio 22 de Junho.
Depois de uma primeira volta menos conseguida, os polícias procuram melhorar o desempenho na segunda, cujo objectivo é chegar ao terceiro ou quarto lugar da classificação. Interclube e Libolo estão separados por um ponto, sendo que primeiros são oitavos (31) e os segundos sétimos (32).

Tempo

Multimédia