Desporto

Desportivo e Kabuscorp empatam no Lubango

António Cristóvão

Desportivo da Huíla e Kabuscorp do Palanca empataram (1-1), ontem à tarde, no Estádio do Ferroviário, na cidade do Lubango, para a conclusão da 23ª jornada do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola, num jogo marcado pela acumulação de cartões.

Palanquinos estão na 10ª posição da tabela classificativa do Girabola com 26 pontos
Fotografia: Edições Novembro

Na transformação de um panalti, aos 68minutos, Sidney apontou o golo dos militares da Região Sul, enquanto Calero saltou do banco de suplentes para marcar o tento da igualdade, já quase no fim da partida.
Na primeira volta da competição, o Desportivo derrotou o Kabuscorp, por 1-0, no Estádio Municipal dos Coqueiros, com golo de Leonel, aos 75 minutos.
Com esta igualdade, a formação huilana está no quarto lugar da tabela classificativa,  com 33 pontos, quando o conjunto do bairro Palanca, com 26, ocupa o décimo posto.
O 1º de Maio de Benguela deslocou-se à cidade de Menongue, onde conseguiu um precioso ponto, ao empatar sem golos frente ao Cuando Cubango FC, no Estádio Municipal. O desfecho puxa os “proletários” do 13º lugar para o 14º da classificação geral, com 19 pontos, ao passo que a equipa anfitriã mantém-se na 11ª posição, com 22.
Na cidade do Huambo, o Progresso do Sambizanga (9º/26) regressou à série de empates, ao ficar no (1-1) dinate do Recreativo da Caála (15º/17), no Estádio Mártires da Canhala.
Tchitchi abriu o marcador, para os donos da casa, na sequência de um livre, aos 56 minutos, restabeleceu a igualdade, numa jogada de contra-ataque rápido.
O jogo foi marcado pela expulsão do guarda-redes Boneco, da Caála, por ter segurado a bola fora da área, para impedir um contra-ataque dos sambilas, orientados por Hélder Teixeira, que foram muito perdulário nas acções ofensivas.

Enguiço dos polícias

Sábado à tarde, na continuidade da jornada, o Interclube (3º/38) empatou sem golos diante da Académica do Lobito (6º/28) e desperdiçou uma excelente oportunidade de igualar o Petro de Luanda e o 1º de Agosto, no topo da classificação.
Na primeira volta, os “estudantes” derrotaram os polícias, por 2-1, no Estádio do Buraco, no Lobito. A equipa orientada por Rui Garcia é rotulada “tomba gigante”, depois de assinar um percurso invicto na disputa com os colossos petrolíferos e militares.
O FVC Bravos do Maquis (12º/23) surpreendeu, na cidade do Dundo, ao derrotar o Sagrada Esperança (7º/26), por 1-0, triunfo insuficiente para deixar a zona perigosa da classificação.
O Domant FC (13º/20) venceu, com dificuldades, o Sporting de Cabinda (5º/27), por 2-1, no Estádio Municipal do Dande, na cidade de Caxito. Pela formação do mu nicípio de Bula Atumba marcaram Medá e Mavumbu, enquanto Castro apontou para os “leões” de Cabinda.
Apesar do triunfo, o representante do Bengo continua na zona de despromoção.
Quarta-feira à tarde, na abertura da ronda, 1º de Agosto (2º/40) e Recreativo do Libolo (8º/27) empataram (0-0), no Estádio Nacional 11 de Novembro. Os militares do Rio Seco desperdiçaram a oportunidade de assumir o comando isolado do Girabola.
Na jornada, que registou o repouso do Petro de Luanda, por força da desistência do JGM do Huambo, por dificuldades financeiras, foram apontados oito golos. Houve cinco empates e apenas dois triunfos (um caseiro e outro forasteiro.)

Tempo

Multimédia