Desporto

Determinação do Progresso trava avanço dos tricolores

Obrigado a vencer, para no rescaldo da competição fazer contas com o eventual desaire do arqui-rival, o Petro de Luanda foi incapaz de desfazer o empate proposto pelo Progresso Sambizanga, que mesmo com a crise de salários em atraso entrou em campo para discutir o desafio dentro do registo competitivo que marcou a sua campanha na prova.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Tiago Azulão chegou a colocar, por instantes, os petrolíferos na condição de campeões do Girabola, ao fazer o primeiro golo da partida, aos 32 minutos, num lance em que a defesa dos sambilas foi apanhada a dormir a sesta. Estava criado um cenário de domínio dos forasteiros .
A vantagem mínima ao intervalo deixou o resultado indefinido. Os vice-campeões treinados pelo espanhol Antonio Cosano permitiram o adiantamento dos pupilos de Hélder Teixeira, que silenciaram o estádio aos 49 minutos. Chiló repôs a igualdade e não festejou, por respeito ao clube formador.
O resultado confirmou a década de jejum do Petro, numa altura em que o 1º de Agosto está a dois dos seus 15 títulos no palmarés da principal prova do futebol angolano. Os colossos estão agora focados na disputa da meia-final da Taça de Angola, quarta-feira, no 11 de Novembro.
No Lubango, o Desporto da Huíla colocou a cereja no bolo da boa época, ao garantir o terceiro lugar e a consequente presença nas Afrotaças, com a vitória sobre o Sagrada Esperança, por 2-0. Nandinho, aos 3 e 57 minutos, foi o marcador de serviço dos militares da Região Sul, que na quarta-feira discutem com o Interclube o acesso à final da Taça.

Tempo

Multimédia