Desporto

Direcção do 1º de Agosto discorda da exposição nas rede sociais

Jorge Neto

O director-geral do 1º de Agosto, Fernando Barbosa “Barbosinha”, discorda da forma como os ex-atletas do clube apresentam os problemas pessoais nas redes sociais para chegar à direcção rubro e negra, considerando que esta atitude tem outros objectivos como manchar o nome da instituição ou dos dirigentes.

Fotografia: DR

Numa entrevista divulgada, na quarta-feira, na página oficial do clube na Internet, o dirigente agostino afirmou que a instituição nunca fechou a porta aos antigos praticantes e tem resolvido muitos casos semelhantes, e deplorou a forma como chegam a ser anunciadas. “Durante estes anos do clube, passaram por aqui milhares de atletas nas mais variadas modalidades desportivas.

É claro, que é bom referir aqui, que o clube não tem responsabilidades sociais com os atletas após a carreira. Nós temos responsabilidades com os mesmos enquanto atletas, existe um vínculo com eles e nós temos a responsabilidade de cumpri-lo”, afirmou o dirigente, acrescentando que “este tipo de práticas, e devo dizer que não é a primeira vez que acontece, passando muitas vezes alguma publicidade pelas redes sociais, não é salutar e acho que estes actores aproveitam situações do género para beliscar, de alguma forma, a imagem do clube e dos seus dirigentes”, disse o antigo basquetebolista.

Em relação ao caso do antigo médio da equipa de futebol, Mateus Mfuidimau, que na semana passada concedeu uma entrevista exposta nas redes sociais, onde abordou a situação difícil que atravessa, o dirigente do clube agostino manifestou desagrado.  “O clube não pode concordar, nem pode solidarizar-se com anúncios nas redes sociais deste género. Muitas vezes, os problemas apresentados não são financeiros, mas de outra índole e nós, por intermédio de outras instituições, temos encontrado uma solução que de alguma forma agrada os ex-praticantes”, disse.

Apesar disso, reconheceu que as portas sempre estiveram abertas aos ex-atletas, por fazerem parte da história do clube, mas não podem colaborar nem mostrar solidariedade perante a situação apresentada pelo antigo jogador, por intermédio de um “spot” publicitário. “Isto nós não podemos aceitar. Os ex-atletas devem obedecer as regras das quais foram aprendidas durante anos aqui no clube, porque sabem que este clube sempre primou pelo rigor, disciplina, e o relacionamento entre as pessoas”, concluiu Barbosinha.

Tempo

Multimédia