Desporto

Egípcios do Smouha antecipam chegada

Armindo Pereira

A formação do Smouha Sporting Club do Egipto, adversária do 1º de Agosto na “final four” da AfroLiga, a decorrer de 24 a 26 do corrente, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, em Luanda, desembarca amanhã no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, de acordo com delegado técnico e director executivo do evento, Tony Sofrimento.

1º de Agosto tem empreitada difícil na disputa de uma vaga para a final da competição
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Os egípcios são os primeiros a desembarcar na capital, ao passo que as formações do AS Salé (Marrocos) e Jeunesse Kairouanaise (Tunísia) são esperadas a partir de amanhã. Depois de falhar a possibilidade de fazer o “triplete”, os militares têm as baterias voltadas para a competição africana, onde não esperam por facilidades, como fez questão de sublinhar o treinador Paulo Macedo.
Refeita da derrota sofrida no Campeonato Nacional sénior masculino, a equipa já trabalha para a empreitada continental, com o rótulo de formação mais titulada, totalizando 8 ceptros. A prova vai ser um misto de despedida e boas vindas ao novo formato, denominado “Baskteball African League”, a ser disputada a partir de Janeiro do próximo ano.
Durante a fase de grupos, o 1º de Agosto obteve cinco vitórias em igual número de partidas, registo semelhante ao adversário da meia-final. A agremiação rubro e negra “discute” às 20h00, com o Smouha e o Jeunesse defronta na abertura das meias-finais, às 18h00, o AS Salé, detentores do título.
Armando Costa, base e capitão da equipa militar , disse que os adeptos podem desempenhar um papel importante para a concretização do objectivo. Em entrevista ao site da FIBA África, o experiente jogador, de 35 anos e 1,89 metros, considera que os quatro candidatos são fortes e em condições de lograr o título.
“Penso que as quatro equipas são muito fortes, e tenho certeza que eles vão oferecer ao público basquetebol de qualidade.
A Association Sportive Sale vem a Luanda defender o seu título, e está a fazer um trabalho muito bom nos últimos anos, especialmente a nível continental “, analisou Armando Costa.
No entanto, o jogador revelou que a preocupação maior prende-se com o adversário egípcio, depois de ter tido a oportunidade de seguir algumas partidas. Na óptica de Armando Costa é uma equipa muito equilibrada.
“O jogo ofensivo do Smouha passa muito pelo base norte-americano James Justice, e acredito que nos vai causar muitos problemas, porque eles deixaram claro a vontade de disputar a final”, argumentou.
Adamu Saaka, de 30 anos, 1,98 metros, compatriota de James, e o senegalês Agostinho Okosun, 32 anos, 2,08 metros, completam a “legião estrangeira” da formação egípcia.

Organização
A Federação Angolana de Basquetebol (FAB) criou uma comissão organizadora, coordenada pelo seu presidente, Hélder Cruz “Maneda”, coadjuvado por Benjamim Romano e Nelson Sardinha “Futuro”, como director-geral, e integra igualmente o 1º de Agosto. “A Federação achou-se na obrigação de colocar o 1º de Agosto na comissão, com tarefas específicas. Na condição de clube anfitrião há funções que têm de necessariamente recair para o representante angolano. Achamos importante aclarar esta questão, para evitar equívocos”, explicou Sofrimento.
A prova vai decorrer em paralelo com a acção de formação destinada a treinadores, árbitros e dirigentes, bem como pessoas interessadas. O evento vai contar com a presença de 30 membros da Liga Norte-Americana de Basquetebol (NBA) para África e da FIBA Mundo.
A FIBA indicou 12 árbitros neutros e não está descartada a inclusão de juízes sul-americanos. As delegações ficam todas hospedadas em unidades hoteleiras situadas em Talatona. De acordo com o programa, o dia 25 está reservado para passeios turísticos.

Tempo

Multimédia