Desporto

Egipto sai vitorioso do dérbi magrebino

Amândio Clemente | Radès

O Egipto confirmou o favoritismo que lhe era atribuído, ao derrotar ontem a Argélia, na abertura das meias-finais desta 24ª edição do Campeonato Africano das Nações sénior masculino de andebol, e defronta amanhã a similar da Tunísia na final da competição.

Pupilos de Catito foram presas fáceis para as Águias de Cartago detentoras do ceptro continental
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Não foi um jogo fácil para os Faraós, que experimentaram sérias dificuldades para impor a superioridade na primeira parte da contenda, onde os argelinos deram réplica e discutiram olhos nos olhos, a liderança da partida. Mas, na ponta final os egípcios conseguiram ficar em vantagem de um golo, que conservaram até ao intervalo, indo para os balneários a vencer pela diferença mínima de 15-14.

Antevia-se uma segunda parte igualmente equilibrada, recheada de despiques renhidos, mas os faraós com a lição bem estudada, não permitiram veleidades ao adversário e facilmente conseguiram uma vantagem de quatro golos, que souberam gerir até ao final da partida. Neste segundo período, os argelinos, tal como nas partidas anteriores foram prejudicados pelos actos de indisciplina dos seus jogadores, que eram frequentemente excluídos por dois minutos, o que era aproveitado pelos faraós para aumentarem ou manter a vantagem no marcador. Apoiados por uma claque numerosa, os jogadores argelinos não souberam tirar proveito da orfandade dos egípcios, que não tinham quase apoiantes nas bancadas do pavilhão do Complexo Olímpico de Radès, que já mostrava uma boa casa.
A indisciplina dos atletas transferiu-se para o banco de suplentes, e o técnico francês Alain Portes foi expulso por dirigir constantemente palavras menos correctas à dupla de árbitros. O treinador argelino, recorde-se, foi o ti-moneiro da equipa da casa na edição passada do CAN, disputado no Gabão, pelo que era constantemente vaiado pelos adeptos tunisinos.
Com a derrota, a Argélia tem de contentar-se com a discussão da terceira posição com a selecção nacional de Angola.

Tempo

Multimédia