Desporto

Eleições podem registar número inédito de listas

Teresa Luís

Em 41 anos de história, pela primeira vez, as eleições na Federação Angolana de Atletismo (FAA) podem ser marcadas por um despique renhido, caso se efectivem as cinco prováveis candidaturas para o pleito eleitoral de 7 de Setembro.

Erlindo Lidador desempenhou a função de vice-presidente num único mandato 2004 a 2008
Fotografia: DR

Depois de Bernardo João e Gertrudes Sepúlveda, presidente e vice-presidente cessantes, anunciarem publicamente os intentos, eis que surge Erlindo Lidador. As candidaturas de Adriano Nunes e António Andrade continuam por se confirmar.

Após fazer parte do elenco federativo de Carlos Teixeira no ciclo olímpico 2004-2008, com a função de vice-presidente e desempenhar o cargo de vogal noutros mandatos, Lidador ambiciona no presente ciclo olímpico ocupar o cadeirão máximo da instituição. “O marasmo em que se encontra a modalidade, aliado ao desnível acentuado na qualidade e quantidade dos praticantes estão na base da minha candidatura a ser apresentada nos próximos dias. Estamos preocupados com o atletismo”, explicou o novo concorrente.

A implementação de um programa realista e exequível, com novas ideias e formatos diferenciados no capítulo administrativo e técnico podem fazer a diferença, segundo Erlindo Lidador.

“Antes de tomarmos a decisão, ponderamos muito. A ausência de pistas de tartan nas demais províncias pode beliscar as nossas pretensões. Não havendo infra-estruturas adequadas, vamos trabalhar com as associações no sentido de alargar a base de praticantes e juntos encontrarmos as soluções”, esclareceu.

Relativamente ao elevado número de listas concorrentes para o pleito eleitoral de Setembro, assegurou: “estamos atentos e por dentro do assunto”.

“Seguramente, cada um terá a oportunidade para esgrimir os argumentos de razão. Depois, caberá aos associados decidirem em função dos programas a serem apresentados”, sustentou.

Por sua vez, Adriano Nunes defende ser prematuro falar sobre a candidatura por ter ainda questões a resolver. “No tempo oportuno, vamos fazer o devido pronunciamento sobre o assunto”, disse.

No presente ciclo, Bernardo João aposta na alta competição, formação de treinadores para disciplinas específicas e pretende garantir a conquista de medalhas e maior visibilidade de Angola nos palcos internacionais.

Gertrudes Sepúlveda quer dar novo estímulo à Federação, reunir competências para elevar o atletismo. A vice-presidente cessante aposta também na formação de monitores, treinadores, cronometristas e juízes em todo o país, de modo a alterar a actual imagem da instituição.

Dependendo da evolução da pandemia do coronavírus, a Assembleia-Geral ordinária da Federação Angolana de Andebol está marcada para o mês corrente. À mesa de trabalhos estão os relatórios de contas e de actividades e a constituição da Comissão Eleitoral.

Tempo

Multimédia