Desporto

Empate afasta 1º de Agosto das contas do apuramento

Honorato Silva | Ndola

As hipóteses de disputa dos quartos-de-final da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol, para o 1º de Agosto, ficaram goradas com o empate (1-1), frente ao Zesco United da Zâmbia, ontem no Estádio Levy Mwanawasa, em Ndola, na conclusão da quinta jornada do Grupo A.

Rubro e negros falharam objectivos no reduto do Zesco United da Zâmbia
Fotografia: Waldemar Santos

O apoio dado na véspera pelo TP Mazembe, com a igualdade sem golos no terreno do Zamalek do Egipto, apurado face ao desperdício de pontos dos militares, acabou por ser inglório. O representante angolano revelou-se incapaz de materializar o objectivo de regressar a Luanda com a discussão do apuramento viva.

Os apagões competitivos, em boa parte do primeiro tempo e no início do segundo, agudizaram as dificuldades da equipa de Dragan Jovic, que pouco fez para evitar que a procura da vitória fora de casa ficasse apenas pelas intenções. Houve uma grande distância entre o querer e o poder, pecha que justificou a igualdade numa partida conduzida de forma imaculada pelo argelino Mehdi Abid Charef, no dia do regresso à actividade, depois de uma suspensão de seis meses.
O início de jogo com certo arreganho chegou a indiciar uma jornada menos atribulada para os rubro e negros, sobretudo pela incursão ofensiva finalizado por Nelson da Luz, numa altura em que o ponteiro dos segundos está longe de completar a primeira volta.
A reposta dos zambiano não tardou a chegar. O quarteto formado por Chama, Mwelwa Mwape, Chaila e Were anulou o tridente lançado por Jovic, que procurou dar músculo ao meio campo, com a entrada de Macaia, Mário e Ibukun.
Sem afirmação de disputa dos lances, pouca intensidade no ataque ao portador da bola, o 1º de Agosto foi um adversário bem ao jeito dos zambianos, que jogavam pela honra. O golo de Kalengo, logo a abrir a etapa complementar, deu justiça ao marcador, porque os tetra-campeões do Girabola eram apenas uma caricatura do grupo combativo que prometeram ser durante a preparação do desafio.
O empate, num momento de assinalável recorte técnico de Ary Papel, ontem o melhor da equipa, a par do guarda-redes Neblu, evitou embaraço maior, mantendo viva a possibilidade de se evitar a última posição no sábado, diante do Zamalek. Em resumo, ficou mais um aprendizado para o clube que ambiciona brilhar entre os grandes do futebol continental. O TP Mazembe passa como líder da série, 11 pontos, e o Zamalek em segundo, oito. Zesco e 1º de Agosto, ambos três, procuram evitar o último lugar.

Aposta no Girabola

A conquista do penta no Girabola e a renovação do título da Taça de Angola passam a ser as metas da equipa, cujo regresso acontece esta manhã. Ivo Traça, adjunto de Dragan Jovic, admitiu no final que o apuramento falhou com os empates consentidos em casa.
“Primeiro temos de dizer que fizemos um bom jogo. Conseguimos suportar a pressão do adversário e reagir ao golo sofrido. Criámos, na parte final, duas situações para voltar a marcar, as mais flagrante por Bobó. Agora é necessário admitir que complicámos as nossas contas em casa. Isso vai nos servir de lição, pois nesse tipo de provas não se pode empatar em casa”, argumentou o treinador.

 

FICHA DO JOGO

Estádio: Levy Mwanawasa
Público: 11 mil espectadores
Árbitro: Mehdi Charef (Argélia)
1-Assistente: Mehdi Charef (Argélia)
2-Assistente: Abbes Akram Zerhouni

Zesco United: Banda,
Owino, Kalonda,
Mwape, Phiri,Chama,
Mwelwa Mwape, Chaila,
Were–Ching’andu,
71 min, Kola,Kalengo.
Treinador: George Lwandamina
Acção disciplinar: Cartolina
amarela a Owino, 85 min

1º de Agosto : Neblu,
Isaac, Masunguna (cap),
Bobó,Natael,
Macaia,Mário – Kila,
45 min, Nelson da Luz –
Bua, 54 min, Ibukun-
Lionel Yombi, 78 min, Ary Papel,
Mabululu
Treinador: Dragan Jovic
Acção disciplinar: Nada a assinalar

Marcador 1-0, Kalengo,
50 min, 1-1, Ary Papel, 68 min
Ao intervalo 0-0
Resultado final: 1-1

Tempo

Multimédia