Desporto

Empresário quer erguer Academia Internacional

António Cristóvão

Bruno Comprido, 30 anos, empresário nacional de atletas de futebol, manifestou ontem o interesse em construir uma Academia Internacional, denominada Be Classy na província do Cuando Cubango, mas aguarda pelo deferimento do seu projecto, “encravado” há mais de três anos na Administração Municipal de Menongue.

Apostar na descoberta e formação de jovens talentos é o desejo de Bruno Comprido
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

“Tenho um convénio com vários agentes de jogadores, e com marcas de material  desportivo. O meu principal foco é a criação da Academia Internacional. Quero implantar um projecto idêntico ao da Aspar, que funciona no Qatar”, explicou ao Jornal de Angola.
O empresário pretende assinar um convénio com alguns clubes da capital, mas já constituiu uma relação com a equipa do Cuando Cubango FC. Ele defende a aposta dos clubes na formação de jovens futebolistas, para servir melhor as futuras Selecções Nacionais com atletas de qualidade.
Bruno Comprido tem agenciado vários jogadores, nacionais e estrangeiros, com referência principal para o futebolista Zé Pedro, 24 anos, filho de pais angolanos, nascido em Portugal, e joga a lateral esquerdo. Fábio Marques, 20 anos, é outro atleta filho de pais angolanos, que enverga a camisola do Estoril Praia. O futebolista joga a extremo direito mas também pode alinhar no lado direito.
Bruno Comprido anunciou que o seu projecto é levar jovens atletas dos 14 aos 16 anos, para o continente europeu para a sua progressão. “Temos muitos talentos no país, mas são poucos os clubes que têm margem de projecção destes atletas. A província do Cuando Cubango tem muitos talentos”, destacou o aspirante a Agente FIFA.
Bruno Comprido começou a carreira de futebolista na Academia de formação do Arsenal, em Lisboa, depois seguiu para o Belenenses e Tirsense. O antigo jogador de futebol veio a Angola, onde passou também pela Académica do Lobito. Antes teve uma experiência no Nacional de Benguela.
“As coisas não correram lá muito bem e decidi parar, porque quando regressei ao país o Campeonato Nacional da I Divisão, Girabola, já estava à porta. Não tinha ritmo e condição física”, disse.
Depois, tentou novamente no Progresso Sambizanga, com o técnico David Dias, mas foi infeliz e voltou à Académica do Lobito.
“Trabalhei no Sporting de Portugal e em vários clubes das camadas jovens como técnico de futebol, com o treinador José Taira. Tenho conhecimentos da base”, explicou a sua trajectória na modalidade. No próximo ano, Bruno Comprido vai à Espanha, onde pretende efectuar um curso para Agentes FIFA de Jogadores.

Tempo

Multimédia