Desporto

Equipa nacional acerta detalhes de finalização

António Cristóvão |

Os Palancas Negras efectuam hoje às 10h00, no campo do Interclube, no bairro Rocha Pinto, os últimos acertos dos detalhes da organização defensiva e finalização.

Ataque continua a preocupar a equipa técnica dos Palancas Negras na preparação
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Antes do jogo frente aos Escorpiões do Madagáscar, amanhã à tarde, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, referente à segunda “mão” da terceira e última eliminatória de apuramento para a fase final da 5ª edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN), a ter lugar de 11 de Janeiro a 2 de Fevereiro de 2017, no Quénia.
O técnico Roberto Bianchi volta a privilegiar as situações de jogo com bola, com oposição dos defensores, e as combinações directas para a finalização.  Como tem sido habitual, o seleccionador nacional prepara um quarteto defensivo constituído por Mira, Dany Massunguna, Wilson Gaspar e Natael (Tô Carneiro). Job, Dudu Leite (Nari), Herenilson, Manguxi (Paty) e Nandinho (Vá) são os elementos do meio campo, enquanto Nelson da Luz deve aparecer no ataque. Gerson é a aposta principal na baliza.
Bianchi, que vai apostar no ataque, promete alterar a equipa utilizada no Estádio Municipal de Mahamasina, na capital do Madagáscar. “Possivelmente pode haver uma mudança no onze de Antananarivo, mas também não somos suicidas, porque temos um adversário com atletas muito bons”, reconhece o seleccionador, acautelando uma provável desatenção defensiva.
O médio Herenilson, que recupera de um problema no tornozelo direito, voltou a ser opção do técnico, mas treinou limitado por precaução. 
Os malgaxes efectuam hoje às 16h30, no Estádio Nacional 11 de Novembro, a sessão de treino de adaptação ao relvado. O técnico Auguste Raux vai privilegiar as correcções dos esquemas de jogo para superar a equipa angolana diante do seu público.

Treino de adaptação
Os Escorpiões, que chegaram quarta-feira a Luanda, cumpriram ontem mais duas sessões de treino, num dos campos anexos do palco do desafio de amanhã.
O quarteto de árbitro da Etiópia, chefiado por Bamlak Tessema Weyesa, chegou ontem à tarde. A equipa é igualmente integrada pelos juízes assistentes Kinfe Yilma e Shewangizaw Tebabal Tadesse, ao passo que Biruk Yemanabran Kassaun é o quarto árbitro. Hoje às 11h30 é aguardado o comissário ao jogo, o namibiano Matheus Joel Amadhila.
No desafio da primeira “mão”, angolanos e malgaxes empataram sem golos, domingo passado no Estádio Municipal de Mahamasina, na capital do Madagáscar.
Para o encontro de amanhã, a Selecção Nacional vai contar com o  apoio de uma claque denominada Palancas, constituída por 15 mil pessoas, anunciou na quarta-feira Dibondo Abraão, assistente do presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, em conferência de imprensa realizada no palco do desafio.
A claque, que conta com representantes do Petro de Luanda, 1º de Agosto, Kabuscorp do Palanca, Domant FC (Bengo) e Santa Rita de Cássia (Uíge), é chefiada pelo antigo vice-presidente da Associação Provincial de Futebol de Luanda, Francisco de Oliveira.  
No âmbito do apoio aos Palancas Negras, na campanha de apuramento para a fase final do CHAN'2018, o Movimento Nacional Espontâneo (MNE) oferece hoje às 18h00, no Hotel Belo Horizonte, no bairro Benfica, 100 exemplares da obra Angola Memórias de um CAN Exemplar, da autoria do jornalista Carlos Pacavira, da Rádio 5.

Tempo

Multimédia