Desporto

Estrelas com pouco brilho na primeira ronda da prova

Honorato Silva | Suez

As estrelas do futebol africano espalhadas pela Europa estiveram pouco cintilantes, na primeira jornada da Taça das Nações, que decorre no Egipto, até ao dia 19 de Julho.

Senegalês Sadio Mané foi poupado na primeira jornada
Fotografia: DR

Entre os jogadores apontados como desequilibradores, Mohamed Salah, no Egipto, e Sadio Mané, no Senegal, dinamizadores do ataque dos ingleses do Liverpool, aparecem como os grandes destaques. São os principais candidatos ao troféu de jogador mais valioso da competição. 

Até terça-feira, dia da conclusão dos primeiros 12 jogos, poucas foram as referências que picaram o ponto. Apoiado por Moussa Doumbia, maestro do meio campo das Águias do Mali, Moussa Marega, ponta-de-lança distinguido em Portugal, ao serviço do FC Porto, pela força quase inesgotável, foi o mais activo. Soube explorar a inexperiência competitiva dos Mouribotones da Mauritânia, brindados com um robusto 4-1, no baptismo africano.
Algo escondido na abertura, diante do Zimbabwe, apagão cujos efeitos foram minorados pelo rasgo de criatividade de Mahamoud Trezeguet, outra esperança dos anfitriões, Salah está longe dos níveis do fantasista que tem assinado verdadeiros tratados, com jogadas de compêndio, nos relvados europeus.
Sem qualquer informação de limitação física, Mané ficou de fora das opções de Aliou Cissé, que confiou o comando do Senegal apenas a Mbaye Niang, no triunfo por 2-0, frente à Tanzânia. Talvez tenha pesado na decisão, de certeza com a finalidade de recuperar o craque do desgaste da exigente época no Liverpool, a maciez do adversário.
Na Argélia, Riyad Mahrez, a estrela da companhia, ficou-se pelos serviços mínimos, o suficiente para marcar no triunfo por 2-0, frente ao Quénia. Djamel Belmadi, seleccionador argelino, não foi de modas. Colocou em campo Sofiane Feghouli e Yacini Brahimi, os outros trunfos da equipa.
Jonathan Kodjia, Maxwel Cornet e Serge Aurier estão debaixo dos holofotes na Costa do Marfim, que experimentou inúmeras dificuldades na vitória (1-0) sobre a África do Sul. Amanhã, diante dos Leões do Atlas de Marrocos, as referências dos Elefantes estarão obrigadas a redobrar a entrega.
Com base nas exibições assinadas ao serviço do Ajax de Amsterdão, equipa sensação da última Liga dos Campeões da Europa, o guarda-redes André Onana é o destaque nos Leões Indomáveis escolhidos pelo holandês Clarence Seedorf para a manutenção do título continental na posse dos Camarões, que procuram ultrapassar o ambiente conturbado resultante da greve dos jogadores.
Discretas nas abordagens, mas a concorrência sabe que estão no Egipto num voo programado para a conquista do ceptro, as Super Águias da Nigéria têm como destaques o goleador Odion Ighalo, que desapertou o nó atado pelo Burundi, Ahmed Musa, John Obi Mikel e Alex Iwobi, médio do Arsenal que ambiciona disputar a segunda final, no espaço de um mês, a contar com a decisão do troféu da Liga Europa, ganha pelo Chelsea.
Entre as estrelas da 32ª edição da Taça das Nações está também o angolano Gelson Dala, o abono de família dos Palancas Negras. Limitado fisicamente frente à Tunísia, o avançado do Sporting de Portugal, com talento reconhecido com a presença nos nomeados para a recente premiação feita pela CAF, espera dar melhor resposta no sábado, na disputa com a Mauritânia.

Tempo

Multimédia