Desporto

FAF pune “proletários” com jogos sem adeptos

O Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF) sancionou o 1º de Maio de Benguela com dois jogos à porta fechada e multa no valor em kwanzas equivalente a 2.500 dólares americanos, segundo o comunicado nº 018 da instituição reitora da modalidade no país.

O referido valor deve ser pago no prazo de 30 dias a contar da data da notificação. Em caso de incumprimento a sanção é agravada em mais 50 por cento. O comunicado acrescenta  que o clube fica obrigado a indemnizar os ofendidos no valor dos tratamentos médicos, além da abertura de um processo disciplinar ao médico do clube, Pedro Cassonda, acusado de ter arremessado uma garrafa cheia de água contra o árbitro principal do jogo 1º de Maio de Benguela-Kabuscorp do Palanca, referente à  13ª jornada do Campeonato Nacional de Futebol da primeira Divisão, Girabola.
O comunicado esclarece que Pedro Cassonda “arremessou uma garrafa cheia de água ao árbitro principal, atingindo-o na perna direita e só não prosseguiu porque foi impedido pelos agentes da polícia”, acrescentando que “após a acção do mesmo, a claque organizada do 1º de Maio de Benguela arremessou vários objectos contundentes (garrafas, pedras, bidões de água e objectos metálicos), tendo um destes atingido a perna direita do árbitro principal e um dos elementos da segurança do clube, sendo os mesmos as-sistidos e suturados os seus ferimentos”.
No mesmo comunicado são igualmente punidos com um jogo, por acumulação de amarelos,  Braulio Dinis “Nary”, do Kabuscorp do Palanca, António Dembo Zage, do Domant FC , e José Adão Pascoal, da Académica do Lobito. Fabrício Mafuta, do Interclube, apanhou dois jogos, e Miguel Bengui Pedro, do Recreativo da Caála, umês.
 Conselho de Disciplina ordenou, por outro lado,  a abertura da instrução de processo disciplinar ao técnico Agostinho Tramagal, a ser conduzido pelos vogais Patrícia Faria e Luís António. Recorde-se que o treinador da equipa principal do 1º de Maio havia sido sancionado com suspensão de um ano e multa de correspondente a cinco mil dólares americanos, no comunicado nº 13, datado de 29 de Março deste ano, mas o clube recorreu do castigo, que só deve ser aplicado após averiguações e a conclusão do processo.

Tempo

Multimédia