Desporto

Federação de Atletismo precisa de mais dinheiro

A Federação Angolana de Atletismo (FAA) precisa de mais 32 milhões de kwanzas, para a realização da 63ª edição da corrida anual, denominada São Silvestre de Luanda, revelou o presidente da FAA, Bernardo João, em conferência de imprensa de apresentação, realizada ontem.

Fotografia: DR

Durante o encontro com os jornalistas, realizado no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, o responsável explicou que a corrida está orçamentada em mais de 50 milhões de kwanzas,  18 dos quais a FAA obteve do Ministério da Juventude e Desportos.
De acordo com Bernardo João, o órgão que dirige está a manter contactos com os principais parceiros, como são os casos da Total, Sonangol, TAAG, BPC, BFA, UNITEL e Refriango, de modo a angariar patrocínios para a prova, a decorrer no dia 31 de Dezembro. “Em função dos contactos feitos, já temos luz verde da Total, com a possibilidade de apoiar a corrida com cerca de 35 mil dólares, em valor equivalente em kwanzas”, revelou o dirigente.  Acrescentou ainda  que a companhia aérea nacional, TAAG, assume o transporte  do material e os custos dos três bilhetes de passagem para os convidados e técnicos de electrónica.
Para este ano, acrescentou o presidente da FAA, a comissão está a trabalhar no sentido de os prémios abrangerem até ao decimo classificado, contrariamente aos três primeiros das últimas edições.
A FAA endereçou convites à África do Sul, Botswana, Namíbia, Moçambique e Zimbabwe, integrantes da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Tempo

Multimédia