Desporto

Federação de Futebol confirma os castigos

O Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF) confirmou, em comunicado, a suspensão, por corrupção, de toda actividade desportiva, da árbitra Marxmina Bernardo, por três anos, assim como dos dirigentes do Benfica de Luanda, Carlos Brecha e Mário Rocha, por seis anos. 

Juíza Marxmina Bernardo afastada por três anos
Fotografia: Mota Ambrósio | Edições Novembro

Num comunicado a que a Angop teve ontem acesso, a FAF refere que os dirigentes do clube “encarnado” da capital depositaram, a 27 de Fevereiro de 2014, 1.250.000.00 (um milhão e duzentos e cinquenta mil kwanzas) na conta bancária da juíza, para beneficiar a sua equipa num jogo do Girabola-2014, pelo que deverão, além da suspensão, pagar uma multa de cinco mil dólares cada, por prática de fraude e corrupção.
O documento determina, igualmente, castigo de 21 dias para o treinador do Petro de Luanda, Beto Bianchi, acrescido de uma multa em kwanza, equivalente a 1.750 USD (mil e setecentos e cinquenta dólares), na sequência da sua expulsão do jogo com o 1º de Agosto, referente à 10ª jornada do Girabola2018, a 14 de Abril último.
O conselho de disciplina sancionou ainda, de acordo com a nota, o presidente do 1º de Agosto, Carlos Hendrick, que deverá pagar a multa, em kwanza, equivalente a três mil dólares, face às suas declarações públicas, contra o vice-presidente da FAF, Adão Costa, por altura da não cedência dos jogadores “militares” à  Selecção Nacional, que disputou este ano o CHAN, no Reino do Marrocos.


Tempo

Multimédia