Desporto

Flamengo vence Paranaense e conquista troféu da Supertaça

Foi mais "limpinho" do que esperado. Depois de na época passada ter sido eliminado pelo Athletico Paranaense na Copa do Brasil, competição que o clube do Paraná acabaria por vencer, agora foi a vez de Jorge Jesus e do "seu" Flamengo confrontarem o "carrasco" na discussão pela Supercopa do Brasil.

Fotografia: DR

O resultado não podia ter sido mais claro: 3-0 para o Mengão e mais um título para JJ no périplo por terras de Vera Cruz.
A história da Supercopa do Brasil (competição similar à Supertaça angolana, que coloca frente-a-frente os vencedores do Brasileirão e da Copa do Brasil) conta-se de forma relativamente simples.
O Flamengo de Jorge Jesus, que terminou o ano passado a vencer o Brasileirão e a Libertadores, incomodando depois o Liverpool de Klopp no Mundial de Clubes, não parece ter tirado o pé do acelerador neste início de época. Logo aos 15 minutos, um cruzamento da direita de Gabigol proporcionou a Bruno Henrique a oportunidade de cabecear para 1-0.
Ainda na primeira parte, aos 28 minutos, um erro incrível da defesa do Athletico Paranaense, que se consubstanciou num atraso de peito de um defesa para o guarda-redes, foi interceptado por Gabigol, o que permitiu ao Mengão festejar o segundo golo da partida. Nos festejos, um cartaz com as palavras “Hoje tem golo de Gabigol” foi "roubado" pelo avançado brasileiro nas bancadas e per-
mitiu perpetuar a fama de goleador do ex-Benfica que brilha na equipa orientada por JJ.
Na segunda parte, não obstante a tentativa de reacção do clube de Curitiba, no estado do Paraná, a verdade é que foram os rubro-negros a dilatar a vantagem. Aos 68 minutos, uma arrancada de Bruno Henrique pela es-querda, que ao tentar passar para um Gabigol iso-
lado permitiu a defesa do guardião do Athletico Pa-ranaense, originou também a recarga do uruguaio De Arrascaeta que, rematando da zona do pénalti e sem ninguém na baliza, aumentou a vantagem do Flamengo para 3-0.
Até ao apito final, o Athletico Paranaense ainda rematou à barra da baliza de Diego Lopes, e tentou reduzir a diferença para o campeão brasileiro. Contudo, a verdade é que o novo ano trouxe o mesmo Flamengo de Jorge Jesus: arrasador e imparável, no Brasil e na América do Sul.

Tempo

Multimédia