Desporto

Fórum aborda desporto escolar e universitário

António de Brito

O terceiro fórum sobre o desporto escolar e universitário da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizado durante dois dias, em Luanda, abordou quatro subtemas, como o “desporto escolar nos países da CPLP”, “desporto universitário”, “desporto e saúde” e “ética do desporto”.

O fórum foi prestigiado pelos secretários de Estado dos Desportos e da Educação, Carlos Almeida
Fotografia: Edições Novembro

Numa iniciativa do Ministério da Juventude e Desportos, em parceira com o Ministério da Educação, o fórum serviu, igualmente, para a troca de experiências e contou com a participação de Angola, Portugal e Brasil.
Comparativamente aos demais países da lusofonia, o desporto escolar e universitário no Brasil atingiu outros contornos, porque é praticado com 36 modalidades.
A representar o Ministério de Cidadania, Desportos, Cultura e Desenvolvimento Social do Brasil, Débora Nascimento referiu que o desporto escolar e universitário só progrediu no Brasil porque o Governo brasileiro investiu nas infra-estruturas e na formação de quadros, com remuneração. “ Se não houver incentivo financeiro e criação de infra-estruturas, o desporto escolar e universitário não vai progredir. Penso que este é o caminho ideal”, disse ao Jornal de Angola.
Em Angola, o quadro é bem diferente, porquanto o desporto escolar e universitário é feito com apenas seis disciplinas, designadamente futebol, basquetebol, andebol, voleibol, atletismo e ginástica rítmica. “Nós temos dificuldades para impulsionar outras modalidades. No plano curricular é ministrado essas disciplinas, daí a razão de serem seis. O xadrez está numa fase experimental e pensámos inclui-lo futuramente nas actividades do desporto escolar”, salientou o director nacional da acção social do Ministério da Educação, Domingos Torres Júnior “Didi”.
O fórum foi prestigiado pelos secretários de Estado dos Desportos e da Educação, Carlos Almeida e Jesus Batista, respectivamente.

Tempo

Multimédia