Desporto

1º de Agosto mantém ritmo no comando do campeonato

Honorato Silva

Em passo apressado, rumo à conquista do quarto título consecutivo, o 1º de Agosto conservou, ontem, o comando isolado do Girabola, ao derrotar o Sporting de Cabinda, por 4-2, no Estádio Municipal do Tafe, para a 25ª jornada, enquanto o Petro de Luanda apenas nos instantes finais conseguiu vergar o Interclube, por 1-0, num jogo controlado pelos polícias.

Tricolores conservaram a distância em relação ao principal opositor na luta pelo título
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

No regresso do guarda-redes Tony Cabaça, castigado com quatro jogos de suspensão pelo Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol, por cuspir no rosto de um jogador da Académica do Lobito, os campeões nacionais cedo criaram vantagem no marcador.

Mal soou o apito para o início do desafio, depois do minuto de silêncio em memória de Joaquim Alberto Silva “Quinzinho”, antigo avançado dos Palancas Negras, falecido na segunda-feira, em Portugal, os militares às ordens do bósnio Dragan Jovic obrigaram os “leões” a adoptar cautelas defensivas.
Sem tempo a perder com protocolos, Mongo fez o 1-0 para o 1º de Agosto, aos 18 minutos, enquanto Dagó, avançado do Congo Democrático, contratado com vista a disputa da segunda volta, apontou o segundo tento dos rubro e negros. O Sporting reduziu, já perto do intervalo, por Fundo.
No regresso dos balneários, os detentores do título do Girabola aceleraram o ritmo do jogo, preocupados com o avolumar do resultado. Dani Massunguna, “capitão” de equipa, e Paizo engordaram a vantagem para 4-1, conforto beliscado por Gláucio, que fechou o marcador.
Atento ao percurso do arqui-rival, o Petro de Luanda conseguiu evitar a perda de pontos, na recepção ao Interclube, no Estádio Nacional 11 de Novembro. Numa das exibições menos conseguidas, na série de jogos consecutivos sob o comando do espanhol Antonio Cosano, os tricolores mantiveram a distância em relação aos militares, graças a uma cabeçada de Manguxi, assistido por Tiago Azulão.
Ousada e cheia de atitude, a equipa do Rocha Pinto, orientada pelo português Bruno Ribeiro, condicionou o habitual arreganho competitivo dos petrolíferos, através do povoamento do meio campo, postura que permitiu criar várias situações de golo, porém, desperdiçadas.

Imagem reabilitada

Ofuscado na fotografia na ronda passada, pelo peso da goleada (1-4) diante do Petro, o Kabuscorp do Palanca foi à Lunda-Sul explorar as fraquezas do Saurimo FC. Yuri (auto-golo), Ebunga e Taddy fizeram os golos na vitória (3-1) da formação treinada pelo português Paulo Torres, que viu Agoia marcar o tento de honra dos anfitriões.
À procura do retorno à boa fase que marcou o seu desempenho da primeira volta, o Desportivo da Huíla foi a Calulo derrotar o Recreativo do Libolo, por 2-1. Leonel e Manico fizeram os golos da equipa de Mário Soares, ao passo que Caya apontou o tento dos pupilos de André Macanga.
Nas contas dos aflitos, a Académica do Lobito consentiu em casa o empate (1-1), frente ao Santa Rita de Cássia. Emisis colocou a equipa do Uíge em vantagem, desfeita por Márcio Luvambo, que garantiu um ponto para os “estudantes” na fuga da zona de despromoção.
Cuando Cubango FC e Sagrada Esperança empataram (0-0), no Estádio dos Eucaliptos, na cidade do Cuito. O Progresso Sambizanga agudizou a crise do ASA, com o triunfo por 2-1, desfecho que deixa os aviadores mais próximos do regresso à Segundona.
O desafio entre o Recreativo da Caála e o FC Bravos do Maquis ficou adiado, por força da ausência dos maquisardes, impedidos de viajar pelo mau tempo. A princípio as equipas jogam hoje à tarde.

Tempo

Multimédia