Desporto

1º de Maio apresenta recurso ao tribunal

Maximiano Filipe | Benguela

A direcção do 1º de Maio de Benguela vai recorrer da sentença do tribunal daquela província, visando uma negociação entre as partes, que permita reduzir o valor da indemnização do processo de despedimento dos funcionários.

Fotografia: DR

Em causa, está a demissão de trabalhadores sem as devidas compensações, razão pela qual o Tribunal de Benguela decidiu penhorar os meios de transporte pertencentes ao clube.
Em declarações ao Jornal de Angola, o advogado da equipa dos proletários, Victorino Visele, afirmou que existe um desequilíbrio entre o valor indemnizatório exigido pelos antigos funcionários e o direito merecido pelo constituinte.
“Houve falta de ponderação da parte do constituinte, prova disso são as dificuldades actuais da formação. Sem condições financeiras, patrocínio, meios e património que permitam produzir rendimento”, disse.
Apesar dos direitos do constituinte, o jurista defende que, antes de intentar a acção, os antigos colaboradores do 1º de Maio devem analisar a boa vontade do clube em abordar sempre o assunto via extra-judicial.
“Trata-se de um processo executivo, onde a direcção do 1º de Maio apesar de nova herdou as dificuldades do antigo elenco e sempre analisou o problema, de modo a  encontrar uma solução favorável”, frisou Victorino Visele.
Relativamente a três no-vos constituintes, citados pelo advogado de acusação, o responsável pelos assuntos jurídicos do clube afirmou que desconhece.

Tempo

Multimédia