Desporto

Aviadores têm de travar militares para evitar a primeira despromoção

Amândio Clemente |

A faltarem duas jornadas para o término do Campeonato Nacional de Futebol da primeira divisão, Girabola Zap nada está ainda definido quanto à questão do título de campeão, nem quem vai acompanhar o Santa Rita de Cássia para o escalão inferior.

Médio Ibukum tem sido o cérebro do meio campo na criação das jogadas ofensivas da equipa do 1º de Agosto
Fotografia: M. Machangongo | Edições Novembro

Na luta pelo ceptro estão 1º de Agosto, com três pontos de vantagem, e Petro de Luanda. No outro extremo da tabela lutam para evitar a descida4 equipas. Académica do Lobito, ASA, Progresso da Lunda-Sul e JGM do Huambo, duas delas vão acompanhar a formação do Uíje.
No topo da tabela advinha-se uma luta interessante pelo título. Os militares almejam a revalidação para chegarem ao décimo primeiro  título, reduzindo assim a desvantagem para 4 em relação ao arqui-rival,  que ambiciona a conquista de um título que foge há largos anos da sua galeria e reforçar o estatuto de “campeão dos campeões”. O 1.º de Agosto conseguiu descolar-se do mais sério concorrente na jornada passada, tirando proveito da derrapagem dos tricolores na deslocação ao sempre difícil terreno dos diamantíferos. Apesar da desvantagem, Roberto Bianchi e pupilos acreditam que ainda é possível chegar ao título, embora tenha de esperar por uma escorregadela dos militares nas próximas jornadas, dependendo por isso de terceiros.
Por seu turno, Dragan Jovic e pupilos só dependem deles para conseguirem a revalidação, pois precisam apenas de uma vitória para abrir o champanhe e fazerem a festa do título. A equipa está moralizada com os resultados positivos mais recentes, pelo que promete continuar a encarar os restantes jogos como autênticas finais.
Com este cenário escaldante, antevê-se já no próximo domingo a provável consagração dos militares, que enfrentam um ASA sedento de pontos como um faminto de pão e água, pelo que os militares não podem esperar por facilidades. o Jogo tem um cariz particular, pois os aviadores jogam o tudo ou nada nas duas jornadas que restam para garantir a manutenção, ao passo que os militares precisam de ganhar,  para entrarem já campeões na derradeira jornada frente ao Kabuscorp.
Do lado tricolor a tarefa parece ser menos complicada, já que recebe um adversário que já atirou praticamente a “toalha ao relvado”, cumprindo apenas calendário. O Petro tem a obrigação de vencer este jogo e aguardar por um desaire dos militares, e então levarem a disputa pelo título até à ultima jornada.

Luta pelo bronze
O interesse desta ponta final do Girabola Zap não se resume à luta pelo ceptro. Sagrada Esperança e Kabuscorp do Palanca, com 50 e 47 pontos, respectivamente, disputam o último lugar do pódio. Nesta jornada, o Sagrada desloca-se a Luanda, onde defronta o Progresso Sambizanga, num duelo de elevado grau de dificuldade e encerra a campanha em casa diante do Recreativo do Libolo. Uma dupla jornada que coloca à prova a capacidade competitiva dos diamantíferos atingirem o honroso terceiro lugar.
O Kabuscorp, por seu turno, também não tem um cruzamento fácil, pois defronta neste domingo o Recreativo da Caála e fecha a campanha diante do 1º de Agosto, adversários com estofo competitivo para complicar as contas dos palanquinos. Interclube e Recreativo do Libolo e Interclube (47 e 46 pontos) também  podem chegar ao pódio, caso diamantíferos e palanquinos claudiquem nesta ponta final. O Libolo joga com o Maquis  em casa (29ª jornada) e vai ao reduto do Sagrada Esperança na derradeira ronda, ao passo que o Interclube recebe o Desportivo da Huíla (29ª) e desloca-se ao Moxico na última rodada. Estes emparceiramentos podem trazer mudanças entre os contendores na luta pelo terceiro lugar, que também está empolgante.

Fuga da despromoção
Das quatro formações que lutam para não descer de divisão há duas em melhores condições de permanecerem ena fina-flor do futebol nacional. Académica do Lobito e ASA (27 e 26 pontos) levam vantagem mínima sobre de dois pontos sobre Progresso da Lunda Sul e JGM. Na próxima jornada, a Académica vai ao reduto do Progresso da Lunda Sul numa autêntica final entre aflitos, imprópria para cardíiacos. Quem vencer tem meio caminho andado para a permanência. O JGM vai a Benguela defrontar o 1º de Maio, num teste muito difícil para os planálticos. A vitória é o único resultado que permite manter a esperança do JGM, num terreno difícil diante de um adversário motivado pelos últimos resultados. Tarefa hercúlea para a formação do Huambo.
O ASA não tem motivos para sorrir, pois no domingo tem pela frente um candidato ao título que pretende resolver quanto antes a questão, pelo que tem uma empreitada recheada de dificuldades, mas os aviadores só pensam na vitória.
Na derradeira jornada, o calendário reserva ainda os jogos Académica-ASA, Caála-JGM e Desportivo da Huíla-Progresso da Lunda Sul, cartaz que promete muita emoção, em função dos resultados que os contendores alcançarem neste fim-de-semana.
O Santa Rita de Cássia, com 17 pontos, já carimbou há bastante o passaporte para a segunda divisão, e aguarda pelos outros dois acompanhantes.

Clube Desportivo
1º de Agosto

Equipa persegue
a conquista do segundo título consecutivo
62
pontos conquistados
3
pontos de vanatagem sobre o concorrente
2
jornadas por disputar

Petro Atlético
de Luanda

59
pontos
na classificação
2
jogos a vencer obrigatoriamente
para ser campeão
8
épocas sem
conquistar títulos

Tempo

Multimédia