Desporto

Desportivo e Académica jogam pelos lugares cimeiros

Armindo Pereira

A sétima  jornada do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola Zap,  prossegue hoje, com o jogo Desportivo da Huíla-Académica do Lobito, às 15h30, no Estádio do Ferrovia, nu-ma partida em que a equipa da casa assume o favoritismo para a conquista dos três pontos.

Equipas procuram galgar terreno na classificação
Fotografia: Paulo Mulaza|Edições Novembro

Em causa está a ascensão ao terceiro lugar na tabela classificativa, uma vez que as duas equipas estão separadas pela margem mínima. Os huilanos surgem na sexta posição, com nove pontos, ao passo que os estudantes, com menos um, ocupam o nono posto.
Diante do seu público o Desportivo da Huíla vai em busca da terceira vitória, na presente edição da prova maior do futebol doméstico. Caso se concretizam as intenções da equipa às ordens de Mário Soares, o Recreativo do Libolo será desalojado e desce para a quarta posição.
Por outro lado, os lobitangas estão cientes que vão encontrar um Desportivo moralizado, depois da vitória no desafio com o FC Bravos do Maquis, por 1-0, realçou o técnico dos estudantes, Rui Garcia.
Com duas vitórias e o mes-mo saldo obtido em derrotas e empates, as esperanças da formação de Benguela estão depositadas no avançado Jirressi, quinto melhor marcador do campeonato, com dois tentos. 
Nas partidas já disputadas  no final de semana, o Sagrada Esperança recebeu e venceu o 1.º de Maio de Benguela, por duas bolas sem resposta, proeza repetida pelo Cuando Cubango, sobre o Progresso Sambizanga.  O Kabuscorp foi a Caxito derrotar o Domant local, por duas bolas a uma.
A marcha triunfal do Interclube foi travada pelo Bravos do Maquis que impôs a primeira derrota ao líder do Girabola, por 1-0, no re-duto deste. O Caála recebeu e venceu, 2-0, o Libolo.    
Enquanto isso, os jogos que opõem o Sporting de Cabinda ao 1.º de Agosto e o Kabuscorp do Palanca ao Petro de Luanda, sofreram um adiamento, e ficaram sem datas exactas, devido à participação dos militares e dos petrolíferos nas Afrotaças.

Tempo

Multimédia