Desporto

Discussão do título entre equipas europeias

Paulo Caculo | Moscovo

As selecções do Brasil e do Uruguai, as únicas “intrometidas” num amontoado de sobreviventes europeus, foram eliminadas do Mundial da Rússia e deixaram caminho livre, para que o “velho continente” volte a sagrar-se campeão do mundo.

Franceses voltam a sonhar com o ceptro depois de deixarem pelo caminho o Uruguai
Fotografia: DR

Se dúvidas ainda existissem em relação ao actual domínio europeu sobre o Mundial de futebol, depois de confirmada a eliminação precoce dos brasileiros e uruguaios - até aos quartos de final os únicos resistentes de uma mescla de representantes de outros continentes, nomeadamente África, América e Ásia -, todas acabaram completamente dissipadas.
O facto é que o próximo campeão do mundo voltará a ser europeu. Ou seja, o “velho continente” tem o tapete vermelho estendido na Rússia, para que possa fazer a festa, com pompa e circunstância, bastando que para tal algumas das selecções ainda em competição nas meias-finais conquistem o mérito de mais forte. Apenas uma subirá ao pódio e erguerá o troféu, em representação da Europa!
É o confirmar de um relativo domínio da Europa sobre os demais continentes, se aliarmos ao facto de os últimos três campeões terem saído igualmente do “velho continente”, nomeadamente Itália, Espanha e Alemanha, vencedores nas edições de 2006, 2010 e 2014.
E ajuda a esclarecer a hegemonia conservada pelos europeus, no histórico de campeões do Mundial, o facto de ter ganho 11 dos 21 troféus entregues pela FIFA. Ou seja, cerca da metade dos títulos do campeonato foram conquistados por selecções europeias. É obra!
Mas, contribui também para esta constatação, o facto de a Europa ter fornecido a este Mundial da Rússia o maior número de países (14), contra apenas cinco (5) da América do Sul, Ásia e África, enquanto a América Central e do Norte estiveram com três.
No entanto, um olhar atento ao palmarés de campeões do campeonato sob a égide da FIFA, permite-nos concluir que em termos individuais, no que ao país diz respeito, o Brasil não arrisca perder o topo na classificado de selecções que mais vezes ergueu o troféu.
Os brasileiros, actualmente com cinco títulos, apenas podiam ser alcançados pela Itália e Alemanha, que conservam quatro troféus cada. Na mesma lista, Argentina e Uruguai surgem a seguir, com dois, ao passo que Inglaterra, França e Espanha somam apenas um.
Pentacampeão do mundo, o Brasil conserva o mérito de ter conquistado o Mundial nos anos de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002.
Coube à Selecção do Uruguai o mérito de ter sido a primeira a vencer o campeonato do mundo, na prova organizada por si, em 1954. Porém, os sul-americanos vivem agora uma seca de 16 anos sem subirem ao pódio da prova, desde a repetição do feito em 1950, no Mundial do Brasil.
De resto, com as meias-finais europeias às portas, os prosélitos da modalidade vivem, apenas, a expectativa de saber qual das selecções do “velho continente” conseguirá destronar a selecção da Alemanha do pódio de campeão em título.

Tempo

Multimédia