Desporto

Militares e filial testam capacidades em Benguela

António Cristóvão |

1º de Agosto e Desportivo da Huíla defrontam-se, hoje às 16h00, no Estádio Nacional de Ombaka, na cidade de Benguela, em jogo amistoso na sequência da preparação para a abertura da época futebolística, no dia 4 de Fevereiro, com a disputa da 34ª edição da Supertaça entre o campeão nacional e o vencedor da Taça de Angola.

Equipa do Rio Seco continua a preparar a época apesar do castigo ao núcleo do conjunto
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Com este encontro de preparação, o técnico Zoram Macki quer dar  maior ritmo competitivo ao grupo, para chegar com o nível de forma recomendado, quando defrontar o Petro de Luanda ,no Estádio Nacional 11 de Novembro. 
Além de dar ritmo para a ascensão da forma desportiva, a equipa técnica procura me­lhorar a condição física dos jogadores. Este é o segundo desafio amistoso programado pelo corpo técnico do conjunto militar do Rio Seco, na cidade das Acácias Rubras.
O conjunto do Rio Seco, que se encontra há duas semanas na cidade de Benguela, tem programado outro amistoso com o Desportivo da Huíla, no sábado às 16h00, no Estádio Nacional de Om­baka. Depois, os militares voltam a jogar no mesmo recinto com a Académica do Lobi­to, na próxima terça-feira à tarde. O 1º de Agosto efectua o sexto e último jogo de preparação no dia 26, às 16h00, também no Estádio Nacional de Ombaka.
No primeiro jogo, o 1º de Agosto cilindrou o Nacional de Benguela, na quarta-feira passada, dia10, por 9-0, no Estádio Nacional de Ombaca. No mesmo recinto, os militares golearam igualmente o Jackson Garcia, por 5-0. As equipas da capital da província de Benguela disputam, a partir do mês de Junho, o torneio de apuramento para a próxima edição do Campeonato Nacional de Futebol da  I Divisão, Girabola.  
Na quarta-feira, 31 deste mês, às 15h30, no Estádio António França “Ndalu”, em Luanda, a direcção do 1º de Agosto apresenta o plantel principal de futebol, para a época que começa no dia 4 de Fevereiro.

Jogadores suspensos
Para o início da temporada, o técnico Zoran Macki vai ficar privado, durante 70 dias, do concurso dos laterais Natael e Paizo, Dany Massunguna (defesa central) Show (médio) e os avançados Geraldo e Nelson da Luz.
Os seis atletas foram sancionados pelo Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF), devido à ausência na concentração da Selecção Nacional de Honras, para a disputa da fase final da 5ª edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN), em Marrocos.
 Paulo Jorge Magueijo, vice-presidente para o futebol do 1º de Agosto, confirmou ontem ao Jornal de Angola a sanção aplicada aos jogadores do Rio Seco, mas prometeu reagir após reunião de direcção do clube. “Só depois de um encontro da direcção, vamos emitir um comunicado e abordar com mais profundidade o assunto”, explicou o dirigente do clube militar.
Ivo Traça, treinador assistente de Zoran Macki, disse que aguarda ansioso pelo pronunciamento da direcção do clube, para depois emitir a opinião do corpo técnico.
“Nós vamos falar depois da direcção. Após o pronunciamento do clube, nós também vamos emitir a nossa opinião”, garantiu o antigo futebolista do 1º de Agosto e dos Palancas Negras.
Com esta medida disciplinar, Zoran Macki vê-se privado de utilizar os seis atletas no desafio contra o Petro de Luanda no dia 4 de Fevereiro, às 16h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro.
Depois seguem-se também no mês de Fevereiro os desafios com o FC Platinum Stars, do Zimbabwe, referente à primeira e segunda “mãos” da preliminar de apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos.
O jogo da primeira “mão” disputa-se entre os dias 9 e 11 de Fevereiro no Estádio Nacional 11 de Novembro, e o encontro de resposta entre 16 e 18 do mesmo mês.
A noticia da suspensão dos jogadores do clube do Rio Seco foi difundida segunda-feira, em Luanda, pelo canal desportivo da Radiodifusão Nacional de Angola, Rádio Cinco.
Durante a conferência de imprensa realizada no dia 3 deste mês, em Luanda, para anunciar os 23 integrantes dos Palancas Negras, Adão Costa, vice-presidente da FAF, mostrou-se insatisfeito com a postura dos dirigentes do 1º de Agosto. Na história do futebol nacional, esta é a primeira vez que jogadores do clube militar ficam ausentes dos Palancas Negras.

Tempo

Multimédia