Desporto

Palancas atingem bons indicadores

António de Brito |

Com 16 sessões de treinos contabilizadas em 12 dias, a Selecção Nacional de Honras de futebol começa a apresentar bons indicadores, concernentes á melhoria dos aspectos técnicos e tácticos, pois faltam 19 dias para o jogo de estreia diante do Burkina Faso, às 18h30, no Estádio Adrar, na cidade de Agadir, pontuável para o Grupo D do Campeonato Africano das Nações (CHAN), a decorrer até ao dia 4 de Fevereiro, no Reino de Marrocos.

Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Comparativamente à primeira semana de preparação, Srdjan Vasiljevic tem se revelado um técnico seguro naquilo que faz, com rigor e determinação, pois sente que os jogadores estão a interiorizar os métodos de trabalhos, que tem vindo a implementar na Selecção Nacional.
Em tão pouco tempo de trabalho, o treinador sérvio acabou por familiarizar-se com os atletas e não teve dificuldades em dispensar, na primeira triagem, nove dos 34 pré-seleccionados.
Srdjan Vasiljevic tem uma capacidade fora do normal de assimilar as coisas, fixando no espaço de três dias o rosto e o nome de cada um dos jogadores. Mas a Língua Portuguesa continua a ser o seu principal adversário.Vasiljevic não passa do"bom dia, boa tarde, boa noite e obrigado". 
É com a expressão obrigação, que a Selecção Nacional está proibida de falhar os seus intentos na competição africana, como salienta o técnico-adjunto Silvestre Pelé.
“Ninguém gosta de perder, nem a feijões. Sabemos das dificuldades a encontrar no CHAN. Estamos a trabalhar uma equipa capaz de dignificar a bandeira nacional no torneio”, assegurou o ex-treinador da Académica do Lobito.
A última triagem, para definir os 23 jogadores, deve a acontecer amanhã no provável amistoso diante da equipa do  Domant do Bengo, que se prepara para o Girabola Zap'2018. Imediatamente a seguir ao jogo treino, Srdjan Vasiljevic dispensa os eleitos para festejarem com os familiares o Ano Novo.
No seio dos atletas, a expectativa é grande em saber quem serão os dois excluídos dos 25, que trabalham às ordens de Srdjan Vasiljevic.
"Esta é a parte mais difícil do treinador, quando temos de definir quem sai. Somos criteriosos, para não beliscarmos a verdade desportiva. Só podemos levar 23 atletas para o campeonato", salientou o técnico-adjunto de Srdjan Vasiljevic.
Atendendo aos objectivos no CHAN de Marrocos, que visam a passagem à outra fase da prova, o seleccionador nacional vai levar três guarda-redes, sete defesas, igual número de médios e seis avançados.
Temos de manter o equilibrio em cada sector da equipa nacional. Não sabemos o que pode acontecer amanhã com um dos jogadores", disse Silvestre Pelé.

Optimista

O irreverente Vá, garante estar a trabalhar para estar entre os eleitos para a competição continental, esperando que não haja nenhum imprevisto durante a preparação. “Chegar à Selecção Nacional faz parte da carreira e do sonho de qualquer jogador, ou mesmo treinador. Pelo trabalho que tenho vindo a realizar, estou convencido de que irei para fazer parte do lote dos 23 jogadores”, garantiu o avançado do Progresso Sambizanga.
Além do Burkina Faso, Camarões e Congo-Brazzaville são os outros adversários de Angola na primeira fase do “africano”. O médio Job respeita os opositores, mas não os teme, realçando o espírito que norteia a equipa nacional antes do arranque do CHAN.
“Conhecemos os adversários que iremos enfrentar. Noutras ocasiões já os defrontámos. Respeitámos qualquer dos adversários, mas não os tememos. Estamos a trabalhar para fazermos melhor que na anterior participação”, garantiu o “capitão” do Petro de Luanda.
Na terceira presença no CHAN, Srdjan Vasiljevic é o primeiro técnico estrangeiro a conduzir a Selecção Nacional na prova reservada aos futebolístas, que actuam nos seus países, depois dos angolanos Lito Vidigal (2011, Sudão) e José Kilamba (2016, Ruanda).
Treinam às ordens de  Srdjan Vasiljevic, os seguintes  jogadores: Landu, Jotabé e Rui (guarda-redes); Nari, Mira, Wilson, Tó Carneiro, Natael, Adilson, Medá e Lito  (defesas); Celson Barros, Paty, Mano Calesso, Almeida, Manguxi, Herenilson e Chiló (médios); Fofó, Vá, Moco, Adó Pena, Bugos, Job e Kaporay (avançados).

Tempo

Multimédia