Desporto

Palancas conhecem estádio palco dos jogos

António de Brito |

A Selecção Nacional de Honras de futebol treina, hoje à tarde, pela primeira vez em Agadir, com a finalidade de preparar o jogo de estreia na próxima terça-feira, frente à similar do Burkina Faso, pontuável para o Grupo D da 5ª edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN/2018), que arranca hoje e termina a 4 de Fevereiro, no Reino de Marrocos.

Jogos de preparação ajudaram a definir fundamentos tácticos a ultilizar na prova
Fotografia: Edições Novembro

Após os habituais exercícios físicos, o técnico Srdjan Vasiljevic incide a preparação na melhoria dos aspectos técnicos e tácticos, finalizando os trabalhos com a tradicional "peladinha" em campo reduzido, para a avaliação do desempenho individual e colectivo dos jogadores.
A faltarem três dias para o "duelo" com os Cavalos burquinabes, Srdjan Vasiljevic antecipou a chegada do conjunto angolano ao palco da competição, de modo a ambientar-se às temperaturas de Agadir, que regista 11 graus Célsius e céu nublado.
Antes de desembarcarem na sede do Grupo D, os Palancas Negras efectuaram um curto estágio pré-competitivo, na cidade de Marraquexe, com realce para o “amistoso” diante da Guiné Equatorial, que venceram, por 1-0, com golo apontado pelo “capitão” Job.
Com o aproximar do jogo frente ao Burkina Faso, Srdjan Vasiljevic vai reduzir as cargas, para que os atletas apareçam nas condições desportivas ideais, já que a ambição passa pela obtenção de um resultado positivo no arranque do torneio.
Passados 25 dias do começo dos trabalhos, a Selecção Nacional superou na sua plenitude algumas adversidades, sendo a mais relevante o alargamento do número de 29 atletas para 34, por força da ausência dos jogadores do 1º de Agosto e do Petro de Luanda no início da preparação.
Do ponto de vista técnico e táctico, Silvestre Pelé, treinador-adjunto dos Palancas Negras, diz que a máquina está afinada e os atletas aguardam com ansiedade os jogos da primeira fase da prova, frente ao Burkina Faso, Camarões e Congo Brazzaville.“Nesta altura, não há muita coisa a fazer. Todo o trabalho foi realizado, intercalado com a realização de jogos de controlo, diante do Domant do Bengo e da Guiné Equatorial. Portanto, chegou a fase de os jogadores competirem”, salientou ontem ao Jornal de Angola.

Confiança

Integram o Grupo de Angola dois colossos do futebol africano, Camarões e Burkina Faso, campeão e vice-campeão da última edição do CAN/2017, disputado no Gabão. Silvestre Pelé, respeita as selecções adversárias, mas não as teme e justifica: “ Não temos de nos sentir intimidados, porque vamos jogar os Camarões ou com o Burkina Faso. É com essas equipas que nós gostamos de actuar. Pelo trabalho efectuado, tenho plena convicção de que vamos conseguir nos impor nos três desafios da primeira fase do CHAN”, assegurou Silvestre Pelé.
Estão à disposição do seleccionador nacional 23 jogadores, nomeadamente Landu, Jotabé e Rui (guarda-redes); Nari, Mira,Wilson, Tó Carneiro, Lito, Medá, Gui e Depaizo (defesas); Celson Barros, Paty, Mano Calesso, Almeida, Manguxi, Herenilson, Chiló, Vá e Job (médios); Fofó, Kaporal e Moco (avançados).
Dos 23 jogadores às ordens do técnico Vasiljevic, o Petro de Luanda encabeça o lote de fornecedores com cinco , como são os casos de Job, Mira, Wilson, Herenilson e Manguxi.
À semelhança de Angola, o técnico português Paulo Duarte leva para o CHAN de Marrocos 25 jogadores do Burkina Faso, com o clube Salitas a liderar a lista com seis, nomeadamente Adamas, Habidine, Nathanio, Sylla, Zongo e Maxime. Os Cavalos burquinabes escalaram ontem a cidade de Agadir, ao passo que a selecção dos Camarões é aguardada a qualquer momento. Na terça-feira, os Leões Indomáveis  jogam às 19h00, com os Diabos Vermelhos do Congo Brazzaville, após o jogo Angola-Burkina Faso, às 16h30, no Estádio Adrar.

Tempo

Multimédia