Desporto

Palancas Negras acertam últimos detalhes de jogo

António de Brito |

Com o grupo de jogadores a esbanjar saúde e confiança, a Selecção Nacional de Honras de futebol realiza hoje, às 16 horas, a segunda sessão de treino em Agadir, tendo em vista a disputa da 5.ª edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN 2018), que arrancou ontem e termina a 4 de Fevereiro, em Marrocos.

Técnico sérvio tem agora pouco tempo para consolidar os conteúdos tácticos administrados
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

No único treino, a decorrer num dos campos de Agadir, o técnico Srdjan Vasiljevic mantém a habitual conversa de rotina com os jogadores no centro do terreno, para abordar o plano de preparação. Logo a seguir à palestra de 15 minutos, Srdjan Vasiljevic reparte o grupo de trabalho para efectuar a tradicional corrida à volta do campo, ao passo que os guarda-redes Landu, Jotabé e Rui fazem treino específico à parte.
Nos últimos 30 minutos de uma hora e meia de treino, o sérvio ao serviço dos Palancas Negras concentra os trabalhos na revisão dos conteúdos tácticos, sem descurar obviamente os aspectos técnicos. Depois da intensa preparação feita em Luanda, o “onze” nacional está provavelmente “nos carris” para desfilar no torneio, apesar de ter realizado apenas dois jogos amigáveis, mas que serviram para Srdjan Vasiljevic e adjuntos prepararem um grupo forte e capaz de competir ao mais alto nível no CHAN.

Confiança em alta 
  
Dispensado a seu pedido da Selecção Nacional, Lunguinha mostra-se confiante numa prestação excelente do conjunto angolano na terceira participação na competição, sublinhando que a equipa está unida e fortemente empenhada para o alcance dos objectivos pretendidos. “Vamos participar com uma equipa bastante jovem e experiente. Pelo trabalho e o carácter demonstrado ao longo da preparação, tenho  em mente que vamos fazer uma boa prova”, garantiu ontem ao Jornal de Angola o defesa que regressa ao Kabuscorp do Palanca, depois de ter representado durante duas temporadas o Progresso do Sambizanga.
O internacional angolano valorizou ainda o trabalho e a competência do técnico Srdjan Vasiljevic, acrescentando que os seus métodos são os mais flexíveis possíveis. “Eu e o grupo de trabalho não tivemos nenhum problema para recebermos a mensagem. Com a ajuda do tradutor, as coisas tornaram-se mais fáceis ainda. Com ele, apreendemos coisas novas. É muito competente naquilo que faz”, assegurou.
Amanhã à tarde, o conjunto angolano faz um treino de adaptação ao relvado do Estádio Adrar, palco do jogo de terça-feira frente ao Burkina Faso, às 17h30, referente à primeira jornada do Grupo D. Para não entrarem às “escuras” no desafio, frente aos Cavalos burquinabes, jogadores e equipa técnica vão visionar, ainda amanhã, as imagens das partidas efectuadas pela selecção francófona durante a fase de apuramento para o CHAN. “Recolhemos alguns vídeos da equipa adversária, que poderão ajudar-nos a detectar os seus pontos fortes e fracos. O Burkina Faso baseia o seu estilo de jogo no contra-ataques rápido”, confirmou ontem ao Jornal de Angola Paulo Ribeiro, supervisor das selecções nacionais.
Quanto às condições postas à disposição da delegação angolana em Agadir, o dirigente desportivo adiantou que são excelentes: “Não tempos razões de queixas. Estamos bem alojados. A organização proporcionou as melhores condições. Agadir é uma cidade balneária e com bons hotéis.”
Nesta altura, Srdjan Vasiljevic dá-se por feliz, porque não dispõe de nenhum caso clínico na equipa, pois trabalha com os 23 jogadores escolhidos, nomeadamente Landu, Jotabé e Rui (guarda-redes), Nari, Mira,Wilson, Tó Carneiro, Lito, Medá, Gui e Depaizo (defesas), Celson Barros, Paty, Mano Calesso, Almeida, Manguxi, Herenilson, Chiló, Vá e Job (médios), Fofó, Kaporal e Moco (avançados).
Além de Angola, os restantes integrantes do Grupo D, Camarões, Burkina Faso e Congo Brazzaville, já se encontram em Agadir. Após o jogo Angola-Burkina Faso, com início às 17h30, Camarões e Congo Brazzaville medem forças às 20 horas, no mesmo recinto.
Angola e Camarões têm três presenças cada no CHAN. Os Palancas Negras competiram no Sudão (2011), Ruanda (2016) e Marrocos (2018), enquanto os Leões Indomáveis participaram igualmente no Sudão (2011), Ruanda (2016) e Marrocos (2018). Burkina Faso e Congo Brazzaville têm duas presenças cada, ambas em 2014 e 2018.

Tempo

Multimédia