Desporto

Palancas Negras estão de folga para o Natal

António de Brito |

Com 11 sessões de treinos realizadas no espaço de oito dias, o técnico dos Palancas Negras, Srdjan Vasiljevic, dispensou no sábado os jogadores para festejarem o Natal com os familiares, após a realização do primeiro treino colectivo no Estádio Nacional da Cidadela, no âmbito da preparação para o Campeonato Africano das Nações (CHAN), a disputar-se de 13 de Janeiro a 4 de Fevereiro, em Marrocos.

Médio ofensivo Job Ricardo deve ser uma das apostas do treinador para a “operação” Agadir
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Amanhã às 16h00, os atletas regressam aos trabalhos de preparação no mesmo recinto desportivo. 
O lateral direito Lunguinha (Progresso Sambizanga) e o médio trinco Ito (Interclube) falham o CHAN de Marrocos. Ambos solicitaram dispensa da Selecção Nacional, alegadamente por problemas familiares. Com a saída de Lunguinha e de Ito, o treinador sérvio passa a contar com 31 jogadores, sendo quatro guarda-redes, 12 defesas, nove médios e seis atacantes.
Quando faltam 22 dias para o arranque do CHAN, o técnico Srdjan Vasiljevic aproveitou o treino colectivo para avaliar o desempenho individual dos atletas, na perspectiva de começar a definir já os 23 eleitos para a competição continental.
Dos 31 jogadores disponíveis, Srdjan Vasiljevic repartiu-os em três grupos, com o treino colectivo a durar três horas. A primeira equipa alinhou com Landu, Mira, Celson Barros, Nary, Tó Carneiro, Manguxi, Job, Paty, Mano Calesso e Kaporay. Pela segunda equipa jogaram Jotabé, Adilson, Valdez, Wilson, Natael, Gui, Herenilson, Adó Pena, Moco, Fifó e Vá. A terceira actuou de início com Rui, Medá, Buchinho, Lito, Depaizo, Jó, Bugos, Dudu Leite, Chiló e Meg. O treino conjunto foi realizado à porta fechada.

Amigável valorizado


Silvestre Pelé, treinador-adjunto da Selecção Nacional, enalteceu a forma como os jogadores abordaram o primeiro treino conjunto, sublinhando que o resultado não está em causa, porque permitiu ao corpo técnico avaliar o desempenho individual e colectivo dos atletas. “Foi um bom treino colectivo. Os jogadores tiveram um comportamento bastante aceitável, porque todos procuram constar dos 23 para o CHAN de Marrocos”, disse ao Jornal de Angola.
Ontem, o corpo técnico dos Palancas Negras reuniu-se para fazer a primeira triagem no grupo, e foram dispensados sete  jogadores.
Buchinho (Progresso Sambizanga), Meg (Real Sambila), Chow (1º de Agosto), Jó (Desportivo da Huíla), Valdez (Interclube), Dudu Leite (Caála) e Josué (Kabuscorp do Palanca) são os afastados. O treinador sérvio passa a trabalhar com 25 jogadores, para levar 23.
Silvestre Pelé aproveitou ainda a ocasião para falar da nova experiência na Selecção Nacional, depois de muitos anos à frente da equipa técnica dos “estudantes” lobitangas.
“É uma experiência agradável. Qualquer treinador aspira chegar à equipa nacional. Além de trabalhar nas Honras, vou coordenar a Selecção Nacional Sub-20. Estou bastante feliz por estar aqui. Darei o melhor de mim, para não defraudar a aposta da direcção da FAF”, garantiu.
O técnico manifestou confiança numa excelente campanha no CHAN. “Apesar de termos começado tarde os trabalhos, estou convencido de que vamos fazer uma boa prova. A nova equipa técnica é bastante ambiciosa. Os adeptos do futebol podem esperar o melhor de nós”, prometeu o treinador-adjunto dos Palancas Negras.

Expectativa


No próximo dia 29, o “timoneiro” dos Palancas Negras divulga a lista dos 23 jogadores. A viagem para o local da prova está marcada para 5 ou 6 de Janeiro.
Contactado pelo Jornal de Angola, Adão Costa, vice-presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), disse que a Selecção Nacional chega mais cedo a Marrocos, para se ambientar às baixas temperaturas. “Nesta altura está frio em Marrocos. Como estamos a treinar no calor, achámos que a Selecção Nacional tem de chegar mais cedo ao local da competição”, referiu. A FAF já está a tratar das questões administrativas para que o embarque aconteça nas datas previstas.
O dirigente desportivo mostrou-se ainda esperançado numa excelente campanha de Angola no “africano”. “O objectivo passa por fazer um bom CHAN. Sabemos que a tarefa se afigura difícil, mas luta não vai faltar”, assegurou Adão Costa.

Tempo

Multimédia