Desporto

Petro quer ganhar Orapa por números robustos

António Cristóvão

O Petro de Luanda joga hoje, às 16h00, frente ao Orapa United FC (Botswana) no Estádio Nacional 11 de Novembro, na capital, a primeira mão da preliminar de apuramento para a fase de grupos da 16ª edição da Taça Nelson Mandela.

Médio criativo Job vestido de amarelo e azul é uma das esperanças dos petrolíferos
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Os tricolores jogam com o objectivo de triunfar com um resultado volumoso, de forma a abordar tranquilamente o desafio da segunda-mão, no reduto do adversário.
Na edição passada, os petrolíferos começaram a preliminar com uma goleada sobre o Masters Security (Malawi), por 5-0, no 11 de Novembro, resultado que esperam repetir diante dos tswaneses.
O técnico do Petro, Ro-berto Bianchi, preparou a equipa para vencer o jogo apesar de algumas contrariedades no seio do grupo, devido à lesão de jogadores influentes no desempenho da equipa.
Desde 2007, que o conjunto do Eixo Viário falha a qualificação para a fase de grupos de uma competição africana. Em 2004, integrou o Grupo A, ao lado do Ashanti Kotoko do Ghana, Rangers (Nigéria) e Al Hilal (Sudão). O Petro ocupou a quarta e última posição do grupo, com cinco pontos.
Apesar de o treino de ontem no campo Osvaldo Saturnino de Oliveira ter decorrido à porta fechada, foi possível perceber que Bianchi pode fazer algumas mexidas na equipa para a tornar mais ofensiva.
O médio Vá está recuperado do esgotamento físico, promovido pela longa ausência dos relvados. Por sua vez, Tó Carneiro recupera o ritmo competitivo.
Para este desafio, o treinador não conta com Mira e Karanga, por lesão no joelho direito, e Élio Wilson, aquém da condição física. Denis também deve estar indisponível por problema na coxa direita.
O Orapa United FC, que chegou no domingo a Luanda, veio no máximo da sua força com o objectivo de contrariar o favoritismo dos tricolores, já que pretendem chegar também à fase de grupos.
Na Liga do Botswana, o Avestruz, denominação oficial do Orapa, é o segundo classificado, com 32 pontos, atrás do Township Rollers, com igual número de pontos e menos um jogo.
Nesta época, o adversário do Petro soma 10 triunfos e dois empates em 14 jogos disputados, apontou 21 golos e sofreu nove. 
A equipa, que tem uma média de idade de 30,6 anos, conta com seis atletas da selecção principal que disputa a campanha de apuramento para a fase final da 32ª edição da Taça de África das Nações (CAN), de 15 de Junho a 13 de Julho de 2019, nos Camarões.
Com estes elementos, aguarda-se por uma excelente exibição das equipas com realce para o Petro, que joga em casa e diante do seu público.
O desafio da segunda mão disputa-se no dia 5 de De-zembro, às 19h00 locais  (18h00, em Angola), no Estádio Itekeng, cidade de Francistown, a cerca de 400 quilómetros de Gaberone (capital do Botswana).
A equipa que se qualificar para a outra fase joga com o vencedor do desafio entre Al Ahly Shandi (Sudão) e As Nyuki (República Democrática do Congo) na próxima eliminatória, duelo referente aos dezasseis avos de final, marcado para o mês de Dezembro. 

Roberto Bianchi garante boa exibição

O treinador do Petro de Luanda, Roberto Bianchi, garantiu ontem à imprensa que os jogadores estão prontos e dispostos a fazerem uma boa exibição hoje à tarde, no desafio frente a equipa do Orapa United FC (Botswana), no Estádio Nacional 11 de Novembro.
“Preparamos bem este jogo e esperamos obter um resultado positivo. Os jogadores estão tranquilos para fazerem uma excelente partida”, disse o treinador. O técnico hispano-brasileiro reconheceu as dificuldades a serem encaradas esta tarde apesar de jogar na condição de anfitrião.
“Não vai ser fácil. Temos de ter confiança e tranquilidade. É um adversário de peso, mas temos condições de fazer uma boa partida”, antevê.
Segundo Bianchi, o importante é vencer, com um resultado dilatado, para encarar o desafio da segunda “mão” com tranquilidade.
“Queremos vencer de forma folgada. Por isso é que vamos fazer poucas mudanças no plantel”, destacou o treinador.
No encontro com os jornalistas, Roberto Bianchi lamentou a ausência de Mira, Karanga, Élio Wilson, Manguxi e Bugos. 
Apesar dos contratempos no seio do grupo, Bianchi acredita que os atletas estão com o moral alto para o triunfo diante da formação do Botswana.
Questionado sobre o Orapa, Roberto Bianchi reconheceu a qualidade do conjunto tswanês.

Tempo

Multimédia