Desporto

Petro vence e alcança militares na liderança

António de Brito

Com uma oferta do guarda-redes Jotabé, o Petro de Luan-da reassumiu, ontem, a liderança do Girabola, ao vencer o Kabuscorp do Palanca por 1-0, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em partida de conclusão da 21ª jornada, totalizando 39 pontos, os mesmos do 1º de Agosto, que ocupa a segunda posição, por força dos golos marcados (24 contra 21).

Palanquinos perderam o desafio nos instantes finais com erro inexplicável do guarda-redes
Fotografia: Vigas da Purificação| Edições Novembro

Pressionados a vencer, os tricolores entraram fortes e pressionantes, remetendo o Kabuscorp ao sector defensivo, porque só os três pontos interessavam, para retornar a partilha da liderança com o 1º de Agosto.
Roberto Bianchi lançou para as quatro linhas um Petro ousado, do ponto de vista ofensivo, com o "capitão" Job, a titular, a comandar a orquestra, depois de ter estado no banco de suplentes nos três últimos desafios.
Sem muitas alternativas no plantel, depois da goleada sofrida diante do detentor do título do Girabola, a formação do bairro Palanca optou pelo jogo defensivo, para evitar uma eventual segunda derrota.
Em ataque planeado, com o habitual sistema táctico 4-4-2, o Kabuscorp por duas ocasiões incomodou a baliza de Gerson. Aos 16 minutos, Mussumari surgiu isolado na área e rematou tenso, tendo a bola seguido a direcção indesejada.
Na marcação de um livre directo, Magola por pouco visava a baliza do Petro. O guarda-redes Gerson, com a mão direita, desviou a bola para canto, quando se direccionava para a baliza, aos 33 minutos. Melhor na abordagem do jogo, a formação petrolífera povoou o meio campo do Kabuscorp, no intuito de visar a baliza de Jotabé, com cruzamentos perigosos. Tiago Azulão, Francis e Job criavam situações claras de golo iminente.
Numa má reposição da bola em jogo, Jotabé quase que colocaria em vantagem o adversário. À entrada da área, o médio Herenilson desferiu um portentoso remate e o guarda-redes do Kabuscorp teve de esticar-se todo para desviar. A bola levava selo de golo. Decorriam 44 minutos.
Durante a primeira metade do jogo, os comandados de Roberto Bianchi foram dominadores, mas tinham dificuldades em concretizar as  inúmeras oportunidades criadas. O guarda-redes Jotabé teve um comportamento digno de realce na abordagem das jogadas.
No regresso dos balneários, as duas equipas apostaram no tudo ou nada, na ânsia de garantir os três pontos. A equipa de Konstadin Papic não se intimidou e passou a atacar mais. O Kabuscorp dispôs das melhores ocasiões de golo, por intermédio de Magola, Doutor Lami e Nelito, aos 47, 55 e 66 minutos.
Apercebendo-se da intenção do adversário, o Petro de Luanda baixou as suas linhas, com o Kabuscorp mais determinado em vencer o desafio, porque vinha de uma pesada goleada. Para refrescar o ataque, Konstadin Papic colocou  Nandinho e Arouna,  para os lugares de Mussumari e Nelito.
Do lado do Petro, o técnico Roberto Bianchi respondeu com as entradas de Mateus e Tony, substituindo Francis e Dennis. Numa oferta de Jotabé, o inevitável Tiago Azulão agradeceu e marcou o único golo do desafio, aos 85 minutos. A dois minutos do fim, Doutor Lami por pouco empatava a partida, valendo o corte oportuno do central Élio para canto.
Com a arbitragem razoável de João Goma, Petro e Kabuscorp disputaram um jogo de elevado grau de dificuldade, mau grado o brinde do guarda-redes Jotabé, formado nas escolas do Petro de Luanda.
Na abertura da jornada, na quarta-feira, 1º de Agosto-Sporting (0-0), Sagrada Esperança-Progresso Sambizanga (1-1), Desportivo da Huíla-FC Bravos do Maquis (1-0),  Domant do Bengo-Académica do Lobito (1-0), Interclube-1º de Maio de Benguela (2-0) e Recreativo da Caála-Cuando Cubango (0-0).

Tempo

Multimédia