Desporto

Relação conflituosa com os treinadores

Os problemas criados por Neymar no Paris Saint-Germain (PSG) são reais e estão longe da  solução, de acordo com um artigo do portal  Goal, sustentado em informações recolhidas no clube francês e no depoimento de uma fonte próxima do internacional brasileiro, que confirma o relacionamento distante com Unai Emery, acentuado porque o treinador optou por defender Edinson Cavani na disputa sobre quem marca os livres e os penáltis na equipa.

Brasileiro sempre criou problemas aos técnicos
Fotografia: Philippe Huguen | AFP

Mas esse é apenas um pretexto, porque “Neymar não gosta de nenhum treinador”, conta a fonte anónima que o  Goal consultou, prosseguindo com exemplos: “Ele tem vindo a ter problemas com treinadores desde os tempos no Santos, seja em clubes, seja na selecção”. “Com o Luis Enrique (no Barcelona) queixava-se dos métodos de trabalho em geral, das escolhas para o onze e das substituições que ele fazia.” “O ponto alto foi a reacção intempestiva contra (Juan Carlos) Unzué, o adjunto de Luis Enrique, quando este lhe disse para ter cuidado para não acabar como Ronaldinho, aconselhando-o a concentrar-se mais no futebol”, reforçou, acrescentando que Neymar também não aprecia os métodos de Emery, sobretudo a preparação específica antes dos jogos, a qual é centrada na observação de vídeos, com sessões privadas de aconselhamento... que o brasileiro depois não tem em conta. De acordo com o artig,a reacção contra Emery está a criar  divisão no plantel do PSG, afastando o contingente de futebolistas brasileiros (cinco) do treinador.

Tempo

Multimédia