Desporto

Rússia elimina favorita Espanha

A Rússia está nos quartos-de-final do Mundial 2018. Os russos precisaram dos penalties para vencer por 4-2, depois de 1-1 nos 120 minutos. Os dois golos foram apontados no primeiro tempo, primeiro por Sergei Ignashevich na própria baliza, depois por Dzyuba, de grande penalidade.

A Rússia, junta-se a Uruguai e França, que já estão nos 'quartos'. Na próxima fase, a selecção da casa defronta a Croácia.
A Espanha, que 'fugiu' do lado dos 'tubarões', ao garantir o primeiro lugar do Grupo B (se fosse segundo e passasse dos oitavos-de-final, podia apanhar Brasil, México, França), tentava fugir a maldição dos candidatos, que já 'mandou' para casa Portugal, Alemanha e Argentina. Mas para isso era preciso convencer a crítica, com uma exibição muito melhor das três da primeira fase (empatou 3-3 com Portugal, venceu o Irão por 1-0 com um auto-golo e empatou 2-2 com Marrocos.
Os espanhóis colocaram-se em vantagem logo aos 12 minutos, numa infelicidade de Sergei Ignashevich. Após livre lateral, o central disputou a bola com Sergio Ramos, mas acabou por desvia-la para a própria baliza. Sem fazer qualquer remate, a Espanha estava em vantagem. Era o 10.º auto-golo deste Mundial. Um recorde.
Os russos, que tinham feito dois remates contra zero dos espanhóis, foram bafejados pela sorte aos 40 minutos. Num canto para a área espanhola, Piquè saltou de braços abertos e fez um corte, de forma involuntária. O árbitro holandês Bjorn Kuipers marcou penálti que Dzyuba converteu. Terceiro golo do gigante russo, o 20.º penalti convertido neste Mundial, dos 26 já assinalados.
No segundo tempo a igualdade persitiu. No prolongamento os dois técnicos aproveitaram para fazer história, em jogo de selecções, com uma quarta substituição (passou a ser permitida pela FIFPro, mas só no prolongamento. Nas grandes penalidades, Koke e Iago Aspas (Sergio Ramos e Iniesta marcaram) falharam para a Espanha. Os quatro russos que marcaram, converteram : Smolov, Ignashevich, Golovin e Cheryshev.

Tempo

Multimédia