Desporto

Sagrada persegue melhor classificação

António de Brito

O Sagrada Esperança abre as suas oficinas no dia 5 de Janeiro, na cidade do Dundo, com a realização dos testes físicos, depois de ter efectuado os exames médicos, um dia após ao término do Girabola Zap, tendo em vista a próxima temporada futebolística.

Lundas mantêm base do plantel da última temporada
Fotografia: Armando Sapalo | Edições Novembro


Depois de ter conduzido o Sagrada ao terceiro lugar do campeonato, o técnico Ekrem Asma renovou por mais um ano o vínculo laboral. Os objectivos da direcção presidida por Osvaldo Van-Dúnem passam pela melhoria da classificação anterior.
De saída do plantel estão o “capitão” Trésor e o avançado Bugos, por fim de contrato. Os jogadores vão reforçar o Petro de Luanda, vice-campeão nacional e vencedor da Taça de Angola.
Ao serviço do Sagrada, o defesa camaronês Trésor fez 17 jogos e marcou um golo, ao passo que Bugos, em 13 jogos apontou seis tentos.
Contactado pelo Jornal de Angola, Francisco Moniz “ Franck”,treinador-adjunto do Sagrada Esperança, garantiu estarem reunidas as condições, para iniciarem os trabalhos da pré-época.
“Temos as condições criadas para a preparação. Com excepção do Trésor e do Bugos, que terminaram contrato com o clube, vamos manter o plantel da época passada”, assegurou o técnico-adjunto de Ekrem Asma. />
Sonho realizado
O avançado Bugos diz que sempre sonhou jogar num dos grandes do futebol angolano, sublinhando que o Petro de Luanda ofereceu a melhor proposta. “Estou feliz. É o concretizar de um objectivo. Darei o melhor de mim, porque os adeptos são exigentes. O meu forte é marcar e dar a marcar. Foram muitos anos a servir o Sagrada”, disse o novo reforço da formação petrolífera.
Pretendido pelos tricolores do Eixo Viário, o ponta-de-lança Guedes vai continuar na formação diamantífera, por ter mais um ano de contrato. A direcção do Sagrada Esperança escolheu a cidade de Benguela para realizar o estágio de pré-época, à semelhança da temporada finda, por defender que a província oferece as melhores condições para que os “verdes e brancos” façam uma boa preparação.
Os lundas vão permanecer durante 25 dias em terras de Ombaka, alternando a preparação com a disputa de jogos de controlo, a fim de elevar a capacidade competitiva dos jogadores.

Tempo

Multimédia