Desporto

Seleccionador reconhece evolução do plantel

Matias Adriano | Agadir

O seleccionador nacional de futebol manifestou ontem o desejo de continuar a trabalhar e a lutar por uma po­sição honrosa no campeo-
nato Africano das Nações CHAN'2018, que decorre nas cidades marroquinas de Casablanca, Tânger, Marrakech e Agadir.

O técnico Srdjan Vaseljevic
Fotografia: Edições Novembro |

Srdjan Vasiljevic, manifestou, ao Jornal de Angola,  o desejo de qualificar a equipa à fase seguinte.
"Para ser sincero, e vou ser sempre sincero quando falo com vocês, eu disse na última entrevista  que para nós seria um grande êxito também passar de grupo. Aquilo que agora estou a pensar é nas próximas horas tirar a equipa do cansaço e prepará-la de forma táctica, técnica, física e mental para o jogo que nos aguarda com o Congo."
Do  primeiro jogo ao se­gundo, disse o técnico, a equipa registou  alguma evolução na maneira de agir em campo, o que lhe deixa de certo modo tranquilo. "Se formos a olhar para as estatísticas podemos dizer que com os Camarões tivemos 50 posses de bola, tivemos maior número de remates à baliza, talvez só não fizemos mais porque viemos de uma longa paragem em função do defeso que se observa no nosso campeonato."
Por isso, Srdjan Vaseljevic disse estar satisfeito com o desempenho da sua rapaziada, apesar de alguns contratempos encontrados no quadro da preparação. "
Menciono sempre  os momentos que não foram lá tão positivos, quando estávamos a nos concentrar para começar a trabalhar, com muitas faltas da parte dos jogadores. Em função disto, quando estávamos em An­gola não tinha falado sobre grandes êxitos, concentrando maior atenção no trabalho, mas ciente que este trabalho mais tarde ou mais cedo te­ria a sua compensação. E a prova está aí”.
Srdjan Vaseljevic reconhece que os resultados obtidos até aqui no torneio não vêm por acaso.
"Quanto ao que aconteceu até aqui na competição, diria que estes dois resultados alcançados não vêm  por acaso. Surgem como resultado do trabalho que estamos a desenvolver, e penso que os jogadores têm o maior mérito nisso tudo. Portanto, todo o mérito, todos os louros são deles."
Prudente, Vasiljevic aconselha o grupo a não cair em presunção, porque ainda não ganhou nada. Há ainda muito desafio pelo caminho. “Conseguimos a primeira vitória, contra um grande adversário, que é os Camarões, mas ainda não conquistamos nada. Eu sou um treinador que sempre exijo mais e quero conquistar algo com esta equipa. Se não for agora no CHAN vou me preparar para no futuro conquistar alguma coisa com esta equipa”.
A concretização deste objectivo, como disse, passa necessariamente pela revisão de um conjunto de factores. “Estamos com vontade de trabalhar e cheios de ambições. Mas para isso tem de se estabelecer certos valores sobre alguns sistemas de trabalho. Quando formos nos agrupar pela próxima vez espero que não encontremos os problemas que tivemos agora”, concluiu.

Tempo

Multimédia