Desporto

Técnico petrolífero cumpre suspensão

António Cristóvão |

A Federação Angolana de Futebol (FAF) confirmou, no final de semana, a suspensão de um mês e o pagamento da multa no valor de três milhões e 400 mil kwanzas, ao técnico Roberto Bianchi, do Petro de Luanda, devido ao seu comportamento no jogo com o 1.º de Agosto.

Comportamento deixa treinador fora do banco do Petro
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

A informação vem estampada no Comunicado Número 045, da FAF , datado de 19 de Outubro e assinado pelo seu secretário-geral, Fernando Rui Costa, no qual o Conselho Jurisdicional da Federação Angolana de Futebol  julgou improcedente o recurso de anulação da decisão interposto pelo Conselho de Disciplina.
O desafio foi disputado a 10 de Setembro, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, para a 24.ª jornada do Campeonato da I Divisão, Girabola Zap, com triunfo dos militares do Rio Seco, por uma bola a zero, golo apontado pelo defesa central Bobo.
Antes da ordem de expulsão, pelo árbitro do quadro da FIFA António Caxala, Roberto Bianchi revoltou-se com os companheiros de equipa e empurrou o técnico assistente Manuel Sousa e Silva “Nejó”. Depois dirigiu-se com maus modos a um dos árbitros assistentes do desafio.

Vantagem militar
O 1.º de Agosto ocupa a primeira posição da tabela classificativa do Girabola Zap, com 62 pontos, tendo um dos melhores ataques e defesa, com 42 golos apontados e 12 tentos sofridos.
Já os tricolores do Eixo Viário estão no segundo lugar com 59 pontos, 42 tentos marcados e 17 consentidos.
O JGM do Huambo, que está no 15.º e penúltimo posto da tabela geral da prova, tem a pior defesa do campeonato, com 53 golos sofridos, enquanto o FC Bravos do Maquis, colocado na 11.ª posição, assina o ataque menos produtivo, apenas com 17 tentos apontados, contra 23 consentidos.

Tempo

Multimédia