Desporto

Treinador Vasiljevic demonstra optimismo

Matias Adriano | Agadir

O seleccionador nacional prevê um jogo difícil contra os Camarões, em função do potencial competitivo desta equipa. Srdjan Vaseljevic, entretanto, tranquiliza os jogadores e aconselha a encararem o jogo como qualquer outro, para não se deixarem assustar pelo nome do adversário.

Técnico mostra confiança numa boa exibição da equipa
Fotografia: Miqueias Machangongo | Edições Novembro

“Vi o jogo que os Camarões fizeram com o Congo e fiquei com muito boa impressão desta equipa. Digo que, apesar de ter perdido, pareceu-me um adversário extremamente forte, de quem não se esperam facilidades. Entretanto, trabalhamos para este jogo e o que vamos fazer é aplicar na prática aquilo que ensaiámos como estratégia”, frisou Vaseljvic.
“Não vamos para o campo derrotados. Faremos o nosso jogo com o pensamento virado para a vitória, sendo o que mais interessa à equipa, para continuarmos a sonhar com aquilo que são os nossos objectivos na prova. É um jogo decisivo, que também devemos encarar de forma decisiva”, acrescentou.
Congo espreita qualificação
Congo e Burkina Faso defrontam-se às 20h30, para o segundo jogo do grupo. Será um outro duelo quente, onde se espera que os termómetros cheguem a atingir 90 graus de temperatura. Um dos adversários procura a qualificação antecipada e outro tenta redimir-se do vexame anterior. Na verdade, em caso de vitória, os congoleses confirmam a passagem aos quartos-de-final, sendo para isto que se vão bater do princípio ao fim. Mas fique desde já claro que não será missão fácil. Afinal, os Etallons ainda acreditam no “volte face” e vão lutar  por isso.
É outro desafio que estará a tirar algum sossego aos seus intervenientes. Para as contas de Angola convém que seja o Congo a ganhar. Um empate ou uma vitória do Burkina Faso, independentemente daquilo que venha ser o desfecho do jogo com os Camarões, deixa as coisas no grupo numa emaranhada teia de aranha. Bom jogo em perspectiva.

Tempo

Multimédia