Desporto

Vasiljevic põe à prova atletas em jogo amistoso

António de Brito |

A Selecção Nacional de Honras de futebol realiza o primeiro treino colectivo, hoje às 16h00, no Estádio Nacional da Cidadela, com a finalidade de o técnico dos Palancas Negras começar a idealizar os 23 jogadores e o “onze” tipo, tendo em vista a disputa do Campeonato Africano das Nações (CHAN), a ter lugar de 13 de Janeiro a 4 de Fevereiro, no Reino de Marrocos.

Motivação comanda empenho dos convocados que trabalham às ordens de Srdjan Vasiljevic
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

O técnico sérvio Srdjan Vasiljevic vai repartir o grupo de jogadores, para o jogo de controlo de 90 minutos, com o objectivo de montar uma equipa competitiva, quando  faltam 23 dias para o jogo de estreia frente ao Burkina Faso, no Estádio Adrar, em Agadir, referente ao Grupo D da prova continental.
Espera-se por um jogo treino disputado, já que os 34 atletas à disposição do seleccionador vão dar o seu melhor  para estarem entre os eleitos. Na próxima semana, o treinador dos Palancas Negras deve anunciar os jogadores para a competição, já que a viagem para Marrocos acontece, provavelmente, no dia 6 ou 7 de Janeiro, de modo a acelerar a ambientação às baixas temperaturas registadas no palco do CHAN.
O treinador vai ter seguramente algumas dificuldades para escolher os jogadores para a prova, a julgar pelo empenho nas sessões de treinos do conjunto angolano.
Logo a seguir ao jogo entre os atletas da Selecção Nacional, Srdjan Vasiljevic dispensa o grupo para a quadra natalícia. Na próxima terça-feira, os atletas retomam a preparação, no período matinal, no viveiro do Estádio Nacional 11 de Novembro. Dos 34 jogadores, Bugos trabalha condicionado. O ex-avançado do Sagrada Esperança, que se transferiu para o Petro de Luanda, se queixa de dores na zona da virilha, mas não corre o risco de ser dispensado dos trabalhos.

Domínio do físico
No treino de ontem à tarde, na Cidadela, Vasiljevic repartiu a preparação de duas horas, com os aspectos físicos a dominar a primeira parte dos trabalhos, sendo que a segunda esteve reservada para a melhoria dos fundamentos técnicos e tácticos. Durante a sessão, o seleccionador nacional tem sido muito interventivo, sempre disposto a corrigir os exercícios que não foram bem feito.
A culminar a sessão de treino, o seleccionador tem optado pelo ensaio de jogadas combinadas , à entrada da área, com cruzamentos tensos para a área, a solicitar a entrada dos avançados, que têm procurar alcançar a bola e finalizar os lances.
Na Selecção Nacional, os sectores estão muito equilibrados. Trabalham quatro guarda-redes, 13 defesas,11 médios e seis avançados.
Landu, Jotabé, Josué e Rui (guarda-redes), Mira,Wilson, Natael, Nari, Lunguinha, Tó Carneiro,Valdez, Medá, Lito, Buchinho, Adilson, Jó e Depaizo (defesas), Celson Barros, Manguxi, Herenilson , Paty, Ito, Dudu Leite, Mano Calesso, Almeida, Meg, Gui e Chiló (médios), Bugos, Job, Adó Pena, Moco,Vá e Kaporay (avançados).
O Interclube cedeu mais atletas à Selecção Nacional, designadamente Landu, Rui, Mano Calesso,Valdez, Moco, Paty, Chiló, Ito e Tó Carneiro.
Apesar do atraso no arranque da preparação, bem como os constrangimentos registados na concentração dos jogadores, marcada de forma negativa pela ausência dos atletas convocados do 1º de Agosto e Petro de Luanda, sendo que os tricolores se juntaram ao grupo mal o presidente do clube, Tomás Faria, ausente do país no início do desentendimento, foi informado da situação, os adeptos dos Palancas Negras estão expectantes quanto ao desempenho.
Melhorar a prestação alcançada na edição anterior da prova, disputada o ano passado no Ruanda, na qual a Selecção Nacional orientada por José Kilamba não passou de fase, é o objectivo mínimo.

Tempo

Multimédia