Desporto

Ginastas querem arrebatar o maior número de medalhas

Teresa Luís

Com o objectivo de conquistar o maior número de medalhas, as selecções nacionais de ginástica nas categorias de juniores e seniores, disputam a partir de amanhã, o campeonato africano nas especialidades de rítmica e trampolim, em ambos os sexos, a decorrer até 29 do corrente no Cairo, Egipto.

Fotografia: José Cola| Edições Novembro

Vinte e dois atletas disputam o título continental. Angola participa na prova pela quarta vez, depois das presenças em 2012, 2014 e 2016. Em declarações à imprensa, o presidente do órgão reitor da modalidade, Auxílio Jacob afirmou que a preparação realizada em Malanje garante o alcance da meta traçada.
"Pretendemos subir ao pódio. Os atletas seleccionados dão-nos essa garantia. Depois do estágio em Malanje, com treinos em regime bi-diário, seis horas por dia, garanto que o grupo está pronto para competir", assegurou Auxílio Jacob.
O conjunto angolano é composto por ginastas de Luanda, Huambo, Huíla, Benguela, Namibe, Bié e Lunda Sul.  A par de Angola e o país anfitrião, participam no campeonato as selecções da Nigéria, Senegal, Argélia, Tunísia, Marrocos, Zimbabwe, Congo Brazzaville, África do Sul, Cabo Verde,  Namíbia, Sudão e  Líbia.
Na especialidade de trampolim foram eleitos, Arsse António, Pedro Sakapueva, Albino Celestino, Retene Magalhães, Xavier Bernardo, Alexandre Simão, Samba Mahula e Angelina Elias.
Na rítmica, Leotina Daniel, Sofia Coqueiro, Alice Tomás, Sofia Maula, Isabel Joaquim, Margarida Juelma, Margareth Tavares, Lourencia Missenda, Lauriete Chiteculo, Joana Domingos, Adriana Chivindica, Evaldina Severino e Luana Gomes.
Jesus Porfírio chefia a delegação angolana que integram também os técnicos, Xungo Moque e Gomes de Oliveira e  Agostinho Sungo, director técnico.

Tempo

Multimédia