Desporto

Incumprimento táctico prejudicou na prestação

Armindo Pereira | Dakar

O técnico da Selecção Nacional sénior feminina de basquetebol, Apolinário Paquete, considera que a dificuldade de adaptação à forma de jogar pode ter condicionado uma melhor prestação da equipa, depois do quinto lugar obtido na 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, Afrobasket Dakar’ 2019, conquistado pela Nigéria, domingo último.

Seleccionador faz balanço da prestação quando chegar ao país
Fotografia: Vigas da Purificação | EDIÇÕES NOveMBRO

O técnico da Selecção Nacional sénior feminina de basquetebol, Apolinário Paquete, considera que a dificuldade de adaptação à forma de jogar pode ter condicionado uma melhor prestação da equipa, depois do quinto lugar obtido na 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, Afrobasket Dakar’ 2019, conquistado pela Nigéria, domingo último.
Em declarações ao Jornal de Angola, o treinador disse que, apesar do objectivo passar pela melhoria do sexto lugar, em momento algum descartou a possibilidade de chegar ao pódio. “Tudo fizemos nesse sentido, mas, a dado momento, houve dificuldade de adaptação de algumas jogadoras à nossa forma de jogar”, aclarou.
Por outro lado, os técnicos das distintas selecções e profissionais da comunicação presentes no palco da competição nunca deixaram de parte a possibilidade de Angola discutir o título. Paquete preferia atirar a pressão para os principais candidatos, Senegal, Nigéria, Moçambique e Mali.
No entender do técnico, as atletas acusaram a responsabilidade, sobretudo no jogo contra as anfitriãs, nos quartos-de-final, onde saíram derrotadas, por 88-54.
“Sem qualquer demérito para o Senegal, se jogássemos em igualdade de circunstâncias, teríamos feito melhor”, ressaltou. Na partida de estreia, contra o Mali, desaire por 71-63, Apolinário Paquete destacou a má abordagem e o número de lançamentos livres desperdiçados. A selecção converteu 14 dos 25 a que teve direito. Seguiram-se as vitórias sobre a RDC (69-49), Quénia (64-51), nos oitavos-de-final. Antes de bater a RDC pela segunda vez (68-48), para as classificativas do quinto lugar, as angolanas triunfaram, por 68-66, sobre o Egipto.

Tempo

Multimédia